Ibovespa sobe quase 2%, descolado das bolsas americanas

Publicado em 06/09/2011 13:58 240 exibições
A bolsa brasileira está conseguindo sustentar-se em alta nesta véspera de feriado pelo Dia da Independência. O mercado acionário doméstico chegou a acompanhar o mau humor visto no exterior, mas conseguiu reverter a direção, impulsionado inclusive por suas “blue chips”.

As bolsas americanas, por sua vez, caem desde a abertura, depois de não terem operado ontem por conta de feriado. O ajuste leva Wall Street a perder fôlego pelo terceiro pregão consecutivo e contagia as praças acionárias europeias, que esboçaram uma recuperação nesta manhã.

A volatilidade continua presente nos mercados. Naturalmente, a apreensão com uma nova recessão nos EUA e com a falta de solução da crise da dívida europeia não sai do foco dos investidores.

De toda forma, a semana ainda reserva eventos relevantes para os próximos dias, como a divulgação amanhã do Livro Bege do Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA), que reúne a cada 45 dias dados econômicos de suas 12 unidades regionais. Na Europa, a liberação da segunda tranche do socorro financeiro à Grécia também está pendente e, no Brasil, as expectativas estão voltadas à ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom).

De volta a esta jornada, por volta das 13h,20 o Ibovespa subia 1,9%, aos 56.074 pontos, com giro financeiro de R$ 2,9 bilhões. Mais cedo, o índice chegou a cair cerca de 1,6% e a marcar mínima de 54.121 pontos.

Em Wall Street, o índice Dow Jones tinha desvalorização de 1,83%, enquanto o S&P 500 caía 1,82% e o Nasdaq recuava 1,66%.

Apesar da baixa, o único indicador americano divulgado hoje veio melhor que o esperado. A atividade do setor de serviços do país trouxe uma surpresa positiva. O Índice dos Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) de serviços subiu de 52,7, em julho, para 53,3, em agosto.

“As bolsas americanas estão corrigindo as perdas de ontem vistas na Europa, mas a semana é mesmo de volatilidade acentuada por conta do feriado e o mercado aguarda a fala do Obama [presidente dos EUA] na quinta-feira, que pode ajudar”, comenta o operador do banco Daycoval Bruno Eiras Martins.

De toda forma, ele assinala que, diante da falta de confiança dos investidores, a alta da Bovespa não tem como se sustentar e recomenda cautela aos agentes.

Empresas

Na cena corporativa, as maiores altas do Ibovespa partiam dos papéis Embraer ON (5,39%, a R$ 9,96), Sabesp ON (5,23%, a R$ 45,21) e Telemar ON (4,90%, a R$ 21,82).

Dentre os papéis com maior peso, Petrobras PN avançava 0,54%, a R$ 20,14, Vale PNA ganhava 1,26%, a R$ 40,18, e OGX Petróleo ON se valorizava em 2,40%, a R$ 11,48.

No sentido oposto, destaque entre as poucas quedas do índice, Cielo ON cedia 0,52%, a R$ 41,90, e Gerdau Metalúrgica PN recuava 0,73%, a R$ 16,26. Além disso, TIM Participações ON voltava a cair, com baixa de 2,47%, a R$ 8,68.

O mercado segue atento à reportagem do Valor que mostrou ontem que a Telecom Italia prepara uma oferta subsequente de ações da TIM, com potencial para movimentar entre R$ 2 bilhões e R$ 3 bilhões. A companhia italiana, contudo,  negou que esteja preparando essa operação.

Fonte:
Valor Online

0 comentário