Ibovespa cai e opera abaixo dos 57 mil pontos com tensão global

Publicado em 19/09/2011 15:06 e atualizado em 19/09/2011 17:25 171 exibições
Encerrado o período para exercício de opções sobre ações, a bolsa brasileira segue operando em baixa nesta segunda-feira, com uma trajetória em linha com a dos pares internacionais.

A queda do Ibovespa, que já chegou a ser de 2% na mínima do dia, é motivada principalmente por papéis de consumo, construção e bancos.

A aversão ao risco se faz presente nos mercados financeiros desde o início dos negócios, diante das frustrações do mercado com a falta de um desfecho para crise grega e de renovados temores de um default do país.

As expectativas permanecem voltadas para a teleconferência entre o ministro das Finanças da Grécia, Evangelos Venizelos, e inspetores da delegação formada por Fundo Monetário Internacional (FMI), Banco Central Europeu (BCE) e União Europeia (UE). Após a reunião, contudo, não deve ser divulgado nenhum comunicado oficial do encontro, conforme reportou a Bloomberg News.

No Brasil, em dia de desvalorização dos preços das commodities, o Ibovespa recuava 0,41%, aos 56.974 pontos. O volume negociado estava em torno de R$ 8 bilhões.

No mesmo horário, em Wall Street, o índice Dow Jones caía 1,83%, o S&P 500 perdia 1,74% e o Nasdaq cedia 1,09%.

O presidente dos EUA, Barack Obama, propôs hoje um plano para diminuir o déficit orçamentário do país em mais de US$ 3 trilhões no período de uma década, por meio do fim de isenções fiscais para os mais ricos e de mudanças nos programas sociais Medicare e Medicaid.

Em discurso na Casa Branca, Obama disse que seu plano, quando combinado com cerca de US$ 1 trilhão em cortes de gastos já sancionados em agosto, pode resultar na diminuição do déficit em mais de US$ 4 trilhões em dez anos.

É improvável, no entanto, que as medidas angariem apoio dos republicanos, que têm repetidamente afirmado que são contrários ao aumento de impostos durante um período de recuperação econômica.

As bolsas europeias fecharam com perdas expressivas. Em Londres, o índice FTSE 100 fechou em baixa de 2,03%, em Paris, o CAC 40 recuou 3,00%, e em Frankfurt, o DAX caiu 2,83%.

No exterior, papéis de bancos estão entre os principais destaques negativos do dia. No Brasil, as units do Santander Brasil também cediam 2,61%, para R$ 15,29, as ações ON do Banco do Brasil recuavam 2,02%, a R$ 26,07, e Itaú Unibanco PN tinha baixa de 1,09%, a R$ 28,98.

Ainda entre as principais perdas do Ibovespa figuravam as ações ON da Rossi (-4,03%, a R$ 10,95), Hypermarcas (-4,59%, a R$ 11,42) e Lojas Renner (-4,96%, a R$ 54,16).

Já as maiores altas pertenciam aos papéis Fibria ON (3,21%, a R$ 17,96), Ambev PN (1,94%, a R$ 56,49) e Braskem PNA (1,60%, a R$ 16,51).

Dentre as ações de maior peso e giro do dia, Petrobras PN avançava 0,38%, a R$ 20,73, enquanto Vale PNA subia 0,67%, a R$ 43,29.

Fonte:
Valor Econômico

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário