Grupo de índios deve desembarcar em Brasília para pressionar STF contra marco temporal de 1988

Publicado em 13/10/2014 18:54 351 exibições

Cerca de 40 lideranças indígenas do Mato Grosso do Sul devem desembarcar em Brasília essa semana para pressionar os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) e autoridades federais. O grupo pedirá que o STF suspenda reintegrações de posse e autorize os índios a continuarem em áreas invadidas no estado. Os índios querem ainda a revisão das decisões recentes que anularam demarcações de terras indígenas com base no julgamento da Raposa Serra do Sol.

Não se sabe quem organiza e financia a viagem dos índios. O grupo pretende exigir do Governo a retomada das demarcação e a regularização das terras indígenas suspensas pelo Governo. Os índios pretendem dizer aos ministros do STF que pretender morrer se o Governo não tomar a terra dos agricultores para acomodá-los.

O grupo também fará pressão contra as 19 condicionantes para as demarcações estabelecidas pelo STF durante o julgamento da demarcação da Terra Indígena Raposa Serra do Sol, em Roraima. De acordo com a carta de intenções dos indígenas, ao usar o marco temporal de 1988 para caracterizar a ocupação indígena, "o próprio STF determina a dizimação e extermínio dos povos indígenas Guarani e Kaiowá no Mato Grosso do Sul".

Essas manifestações dos indigenistas no judiciário costuma ter um efeito devastador na cabeça dos ministros. Ninguém gosta de ser colocado como algoz, nem de encarar suas "vítimas". Os indigenistas usam esses estereótipos para fazer a cabeça da justiça. 

Os indigenistas estão movendo os índios na defesa dos seus interesses. E os agricultores, o que fazem?

Fonte:
Questão Indígena

0 comentário