MT: Safra de soja se mantém alta e milho pode reduzir

Publicado em 11/01/2012 12:54 787 exibições
A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) divulgou o 4º levantamento da safra brasileira de grãos. De acordo com os dados da companhia, Mato Grosso se mantém líder na produção de soja na safra 2011/12, com uma produção estimada em 20,9 milhões de toneladas. O aumento na produção seria de apenas 2,8% com relação a safra passada, que foi de 20,4 milhões de toneladas. Com relação à área cultivada com a oleaginosa, a Conab projeta um crescimento de 5,8% em relação ao ciclo passado, alcançando 6,7 milhões de hectares com soja em Mato Grosso na safra atual.

O vice-presidente da Aprosoja, Ricardo Tomczyk, afirma que haverá um aumento tanto de área quanto de produção de soja em Mato Grosso, porém, em virtude de problemas climáticos em diversas regiões do estado a produtividade tende a ser menor do que a obtida no ano passado. “Podemos ultrapassar as 21 milhões de toneladas de soja nesta safra, mas dependemos de alguns fatores para poder confirmar estes números. A proliferação da ferrugem asiática e o clima são alguns deles”, comenta Tomczyk.

No 4º levantamento de safra a Conab prevê uma produtividade menor para Mato Grosso para a safra 2011/12, com 3.100kg/hectare. Tomczyk destaca que o aumento de área nesta safra ocorreu basicamente em terras com pasto de baixa rentabilidade que foram incorporados para agricultura. “Estas áreas não têm ainda uma fertilidade estabelecida, o que impede de alcançar altas produtividades. É sempre bom lembrar que ainda estamos na dependência do comportamento da ferrugem asiática para avaliar com certeza a produtividade que teremos nas lavouras”.

No país, a estimativa da Conab para a safra de soja 2011/12 foi elevada para 71,75 milhões de toneladas com um incremento da área plantada, apesar da seca no Sul. No mês passado, a Conab havia estimado a produção em 71,29 milhões de toneladas.

MILHO

Por outro lado, enquanto os dados para a cultura da soja não divergem tanto dos dados já apurados pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), no caso do milho o levantamento da companhia está muito distante das projeções do Instituto de Mato Grosso. A área plantada com milho segunda safra não sofreu alteração no relatório da Conab em comparação ao ano passado. A companhia foi cautelosa e afirma que ainda é cedo para previsões, pois vários fatores influenciarão na decisão da área que será cultivada, dentre eles estão: clima, comportamento do mercado, período de colheita da soja e o desempenho do milho primeira safra.

No último boletim do Imea, a previsão para área com milho segunda safra em Mato Grosso é de 2,2 milhões de hectares. Em comparação com os dados da Conab na safra 2010/11 (1,8 milhões de hectares), o estado teria um incremento de 20% na área plantada com o milho “safrinha”.

O Imea prevê ainda uma produção de 9,8 milhões de toneladas, um incremento de 40% em relação ao ano passado. A Conab estima uma queda na produção de milho segunda safra no estado, com 7,1 milhões de toneladas.

A diferença entre as previsões da Conab e do Imea deve-se ainda às incertezas que rondam a segunda safra de milho. Em Mato Grosso o plantio terá início no final de janeiro e deve se estender até o final do mês de fevereiro, quando será possível saber  com maior precisão o tamanho da área.

“Em relação ao aumento da produção do milho segunda safra, o que chama a atenção é o equivalente aumento de área, motivado principalmente, pelos preços mais remuneradores do que no mesmo período do ano passado”, destaca o vice-presidente da Aprosoja.

Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário