Exportações brasileiras de soja devem recuar em volume e valor em 2012

Publicado em 28/02/2012 16:22 812 exibições
A agência Safras & Mercado divulgou nesta semana as projeções das exportações do complexo soja brasileiro em 2012, após a contabilização parcial das perdas de safra em função da estiagem e depois de ter fechado o ano passado com recordes históricos de volume e de valor.
O novo relatório apontou volume total a ser embarcado no complexo de 48,6 milhões de toneladas, perto de 1% inferior aos 49,08 mls de t registrados em 2011. Por conta da combinação de menor volume com preços médios mais baixos, a receita total das exportações do setor deve ter uma forte queda de quase 10%, passando de US$ 24.15 bilhões para US$ 21.75 bls.
Dessa maneira, a participação do setor na pauta geral de exportações deve recuar para apenas 7,8%, depois do salto até 9,4% ocorrido no ano que passou. Na soja, embarques previstos de 32,2 mls de t e receita de US$ 14.8 bls. No farelo, exportações de 14,9 mls de t e receita de US$ 5.2 bls. No óleo, saídas de 1,5 milhão de t e receita de US$ 1.72 bilhão.
No acumulado do ano que passou, os embarques subiram em todo o complexo e no caso do grão e óleo superaram as expectativas. Na soja foram 32.986 mil t, 14% acima dos 29.073 mil t do ano anterior. No farelo foram 14.355 mil t, 5% maior que os 13.669 mil t anteriores. E no óleo foram 1.742 mil t, 11% superior aos 1.564 mil t de 2010.
O fluxo de saídas seguiu forte neste primeiro mês do ano, também com aumento nos volumes em todo o complexo. Na soja foram 1.012 mil t, contra 208 mil t em 2011. No farelo foram 1.052 mil t, acima dos 955 mil t em janeiro do ano passado. E no óleo foram 103 mil t, contra 86 mil t em igual momento do ano que passou. 
"Apesar da boa potencialidade da demanda, em cima do crescimento da economia nos países em desenvolvimento, a escassez de oferta e os altos prêmios de exportação praticados devem levar os compradores para mais longe dos portos sul-americanos. Basicamente em direção aos EUA, especialmente passada essa maior pressão de vendas que ocorre nos meses de colheita", explica o analista de Safras, Flávio França Júnior.
Tags:
Fonte:
Agência Safras & Mercado

0 comentário