Circuito Aprosoja: Maior evento de planejamento de safra já passou por 10 municípios

Publicado em 07/05/2012 13:41 309 exibições
O Circuito Aprosoja passou por Jaciara nesta sexta-feira (4). Já são dez municípios visitados pela Aprosoja nas regiões Oeste e Sul de Mato Grosso. Os produtores rurais da região lotaram o Sindicato Rural para ouvir informações sobre o mercado de soja e milho e também sobre sucessão familiar.

O presidente da Aprosoja, Carlos Fávaro, avaliou positivamente o evento. “Estamos contentes com o envolvimento dos núcleos na organização e a participação das famílias em todos os eventos. Esperamos que nas regiões Norte e Leste o sucesso continue”, disse.  O delegado-coordenador de Jaciara, Rogério Berwanger, também estava com expectativas sobre as palestras. “Os produtores rurais estão muito ansiosos pela palestra sobre sucessão familiar. Acredito que o evento será um sucesso”, afirmou.

Durante o Circuito Aprosoja, o diretor executivo da entidade, Marcelo Duarte, falou sobre mercado e ainda sobre a incidência de impostos nos contratos de sucessão familiar. Ele explicou que a soja contribui com 24% da balança comercial brasileira e sobre a importância da China, que são os nossos maiores consumidores, especialmente para a produção de ração para animais. De acordo com os dados apresentados na palestra, em 1996, o país importou 2 milhões de toneladas de soja e, na safra 2011/12, já foram 55 milhões de toneladas do grão.

O destaque foi a produção de grãos em Mato Grosso. “Se fossemos um país, seríamos o quarto maior produtor do mundo”, afirmou Marcelo Duarte. Na safra 2011/12 a produtividade ficou abaixo do esperado, menos de 50 sacas por hectare, mas a área plantada foi recorde – 7,7 milhões de hectares e 21,5 milhões de toneladas colhidas. Em relação ao milho, a expectativa é a melhor possível. “Plantamos uma área recorde, de 2,2 milhões de hectares e a produtividade é de 78 sacas por hectare, em média. Espera-se que a safra seja de 13 milhões de toneladas, o dobro do ano passado”, explicou.

Impostos – Os produtores rurais também puderam aprender um pouco mais sobre os impostos incidentes sobre as transferências de imóveis, especialmente em se tratando de sucessão familiar. “Não há mais como escapar da declaração correta dos impostos. O governo está criando um ‘big brother’ fiscal cruzando informações diversas. Então é preciso atentar para isto no momento de transferir as propriedades”, explicou Marcelo Duarte.

O diretor da Aprosoja exemplificou um dos impostos que deverão ser pagos, o Imposto de Transmissão Causa Mortis e Doação (ITCMD), que é um tributo estadual que deve ser pago quando da transmissão de bens ou direitos como herança, diferença de partilha ou doação. Aqui, a incidência é de 4% sobre o valor do patrimônio, mas em outros países chega a 55%. “É preciso pensar em como fazer essa transmissão para pagar o menor valor possível”, disse. A sugestão é que se faça um contrato social para que o patrimônio seja dividido em vida, com planejamento tributário, para que sejam garantidos os direitos dos pais e dos filhos.
Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário