Publicidade

Soja acentua perdas no final da sessão e encerra com queda de dois dígitos

Publicado em 15/11/2012 09:32 e atualizado em 16/11/2012 07:42 943 exibições
Em dia de feriado no Brasil,  os negócios em Chicago sofreram pressão com as notícias relacionadas à economia mundial,  previsões de chuvas na América do Sul e desempenho positivo do dólar index ao longo do dia . A soja encerrou com queda de 15,25 pts no vencimento Janeiro cotado a US$14,03/bushel, o vencimento Março encerrou a US$13,85/bushel com baixa de 13,75 pts e Maio teve queda de 14,00 pts fechando a US$13,63/bushel.

 Para o analista Pedro Dejneka, da Futures International, de Chicago, as quedas de hoje já eram esperadas porque "o mercado não tem pernas suficientes para subir no momento". Uma reversão dessa tendência negativa só deve acontecer se a demanda continuar forte também nas próximas semanas. "Dessa forma é bem possível que o "basis" (prêmio) possa disparar aqui nos EUA , indicando a necessidade de racionamento", considera o analista.

 Na última quarta-feira (14) as cotações da soja encerraram do lado positivo da tabela com mercado refletindo a notícia de avanço tanto na demanda por parte das esmagadoras nos EUA quanto nas exportações, principalmente para a China. Mas Pedro Dejneka lembra que esse quadro de demanda aquecida precisaria continuar  por mais algum tempo,  pelo menos nas próximas 4 ou  6 semanas.

Enquanto isso, a tendência é de mercado pressionado, com possíveis repiques técnicos tentando quebrar resistências. " Não significa que não teremos dias positivos, mas o mercado vai procurar vender as altas", completa o analista.

Tags:
Fonte:
Redação Notícias Agrícolas

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

1 comentário

  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    O nome do ´fantasma` que derruba os preços e assola os mercados financeiros e o `abismo fiscal americano`, ou as reduções dos impostos dados por W. Bush na crise de 2008, que expira em 1/jan/2013. Obana prometeu resolver na próxima semana, prorrogando os descontos nos impostos para a classe média e para pequenos e médios negócios. Se falhar seria um aumento súbito de impostos que poderiam levar o país à recessão.

    0