Publicidade

Vazio sanitário da soja vai fiscalizar mais de 500 propriedades rurais em Minas Gerais neste ano

Publicado em 27/06/2013 14:49 388 exibições

De 1º de julho a 30 de setembro, Minas Gerais viverá o período conhecido como vazio sanitário, em que fica proibido o plantio de soja. Estabelecida pelo Instituto Mineiro de Agropecuária (IMA), a medida tem como objetivo prevenir e controlar a ferrugem asiática, doença que ataca a lavoura e causa prejuízos aos produtores.

A meta para 2013 é fiscalizar 548 propriedades. Em 2012, o IMA vistoriou, no mesmo período, 452 propriedades mineiras, o que corresponde a uma área de 157.050 hectares. Assim como nos anos anteriores, vão ser vistoriadas propriedades no Triângulo Mineiro, Alto Paranaíba, Noroeste e Norte de Minas, regiões em que se concentram o cultivo de soja no Estado.

“As pesquisas orientam que seja realizada a eliminação do hospedeiro, a planta de soja, para se eliminar o fungo causador da ferrugem asiática, que provoca queda das folhas e prejudica a formação dos grãos, derrubando drasticamente a produtividade das lavouras”, esclarece o diretor-geral do IMA, Altino Rodrigues Neto.

O IMA, o órgão responsável pela fiscalização do cumprimento do vazio sanitário da soja, alerta aos produtores que cumpram a medida por se tratar de uma praga extremamente prejudicial à economia mineira e nacional. Aquele que não cumprir a legislação estará sujeito a notificações e multas. Há exceção, apenas, para as áreas de pesquisa científica e de produção de sementes genéticas, que devem ser devidamente autorizadas, monitoradas e controladas pelo IMA.

Publicidade

Para reforçar e mostrar a importância da medida, o Governo de Minas realizará uma campanha de conscientização aos produtores mineiros através de veiculação de informativos nas principais emissoras de rádio das regiões produtoras, além da distribuição de folhetos.

O papel do produtor também não se limita à eliminação das plantas. Todo sojicultor deverá cadastrar junto ao IMA as áreas plantadas a cada safra, até 30 dias após o término do plantio. O produtor deve procurar a unidade mais próxima da sua propriedade para realização do cadastro. Os endereços dos escritórios podem ser consultados no portal www.ima.mg.gov.br.

O gerente de Defesa Sanitária Vegetal do IMA, Nataniel Nogueira Diniz, afirma que, cada vez mais, os produtores contribuem para o sucesso da iniciativa, bem como para a redução da aplicação de agrotóxicos e redução do custo de produção.

Tags:
Fonte:
Seapa

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

Ao continuar com o cadastro, você concorda com nosso Termo de Privacidade e Consentimento e a Política de Privacidade.

0 comentário