Informa Economics diminui previsão para soja nos EUA e eleva para o Brasil

Publicado em 04/10/2013 16:47 e atualizado em 04/10/2013 17:58
1713 exibições

A consultoria Informa Economics reduziu suas estimativas para a produção e a produtividade da soja norte-americana em 2013 e elevou sua previsão para a safra de milho dos EUA, além de aumentar a projeção para a safra brasileira de soja em 2013/14.

A Informa estimou a safra 2013 de soja dos EUA em 86,4 milhões de toneladas, com uma produtividade de 47,3 sacas por hectare. Os números ficaram abaixo das estimativas da consultoria em 20 de setembro de uma safra de soja de 87,6 milhões de toneladas com uma produtividade de 48,1 sacas por hectare. Para a safra de soja do Brasil em 2013/14, é previsto um recorde de 87,897 milhões de toneladas.

Em seu relatório mensal, a consultoria elevou a estimativa para a produtividade do milho nos EUA em 2013 para 169,35 sacas por hectare, ante 164,38 sacas / hectare na estimativa anterior. A consultoria subiu a produção de milho no país para 5,93 bilhões de sacas, ante 5,88 bilhões vistos anteriormente.

O Departamento de Agricultura dos EUA atualmente estima a produção de milho norte-americana em 5,86 bilhões de sacas, com uma produtividade de 164,3 sacas / hectare e uma safra de soja totalizando 1,33 bilhões de sacas, com um rendimento de 43,6 sacas por hectare.

O USDA deve atualizar suas previsões sobre as safras em 11 de outubro, mas a divulgação pode ser afetada por uma paralisação parcial do governo norte-americano.

Informações: Bloomberg e Reuters

 

EUA: Safra de milho deve ser maior que o esperado, segundo a Informa Economics

As colheitas nas lavouras de milho nos Estados Unidos apontam para uma produtividade de 169,35 sacas por hectare, de acordo com Rob Westmoreland, vice-presidente executivo da Informa Economics, empresa de consultoria em agronegócio. As últimas previsões do relatório do USDA indicavam rendimento de 164,38 sacas / hectare. É o que mostra a matéria publicada pelo site americano agweb.com. 

Cresce a participação dos EUA no mercado internacional
A melhora da produtividade, aliada aos preços mais baixos, poderá ajudar os produtores dos Estados Unidos a ganharem uma maior participação no mercado internacional. 

Segundo a Agweb, Westmoreland informou que alguns produtores brasileiros estão recebendo ofertas para seu milho abaixo do custo de produção. Países da América do Sul precisarão fazer melhorias e infra-estrutura para continuar competitivo em um ambiente de preços mais baixos. 

Foco na soja 
Westmoreland também faz uma previsão altista para a soja para o ano que vem e para os próximos 10 anos. Ele prevê que as margens para a soja serão melhores do que as do milho no ano que vem.

A China deve importar aproximadamente 70 milhões de toneladas de soja este ano, e na virada da década, o número deverá subir para 100 milhões. " A questão é se eles irão conseguir manter esse nível de importação por muito tempo".

O analista diz esperar que a produção de soja atinja um novo recorde no ano que vem, o que irá colocar mais pressão nos preços. Ele defende que os estoques irão crescer, mesmo diante de uma demanda maior. 
              
A demanda por grãos e soja dos EUA deve continuar crescendo até 2022. A China e outros países menores da Ásia serão grandes importadores de soja, já que uma grande porcentagem da população desses lugares ingressa na classe média e aumenta o consumo.   

Com informações de: agweb.com

Tradução: Fernanda Bellei

Tags:
Fonte: Reuters, Bloomberg e Agweb

0 comentário