Monsanto: Esclarecimento sobre o recebimento e comercialização da Intacta RR2 PRO

Publicado em 31/07/2014 08:24 e atualizado em 02/03/2020 09:20 3687 exibições

A Monsanto entende que a escolha de quais tecnologias e sementes utilizar cabe, exclusivamente, ao agricultor.  Comprometidos em preservar esse direito, a Monsanto e mais de 430 empresas, que somam em torno de 3 mil pontos de entrega de soja, já entraram em acordo para operar o sistema de recebimento e comercialização de soja contendo a tecnologia Intacta RR2 PRO, em todas as regiões do Brasil.  Portanto, os agricultores brasileiros poderão continuar a exercer seu direito de escolher livremente qual tecnologia adotar em suas lavouras. Da mesma forma, a Monsanto continua em uma forte posição para apoiar os agricultores brasileiros na oportunidade de usar a tecnologia Intacta RR2 PRO na safra 2014/2015, e a empresa se mantém em linha com os resultados comerciais projetados para este segundo ano comercial da tecnologia.

Este sistema de recebimento e monitoramento de soja encontra-se em operação há mais de 10 anos no Brasil, e tem sido fundamental para o investimento em mais variedades, novas biotecnologias e para o aumento do uso de sementes certificadas e, por consequência, redução da pirataria.

A Monsanto continua na busca de um entendimento com as 12 empresas associadas à Abiove, ressaltando que essas empresas já acordaram em operar o mesmo sistema de recebimento e monitoramento em outros países. Isso demonstra, claramente, que o mesmo não interfere na atividade de qualquer empresa.

A Monsanto ressalta que a Intacta RR2 PRO, a primeira biotecnologia agrícola desenvolvida para a América do Sul, está aprovada para o livre comercio no Brasil e nos principais países importadores de soja. Na safra 2013/2014, mais de 14 mil agricultores brasileiros plantaram a Intacta RR2 PRO em suas lavouras e puderam verificar na prática os três benefícios da tecnologia: potencial aumento da produtividade, proteção contra as principais lagartas que atacam a soja e tolerância ao herbicida glifosato.

Tags:
Fonte:
Monsanto

8 comentários

  • LUIS CARLOS MATTE São Gabriel - RS

    TUDO BEM,CABE AO PRODUTOR ESCOLHER QUE TÉCNOLOGIA USAR. O QUE NÃO PODE ACONTECER É O PRODUTOR SER MANIPULADO A USAR A TECNOLOGIA INTACTA,COMO ESTA ACONTECENDO,ESTÃO USANDO A HELICOVERPA COMO BODE ESPIATÓRIO,E A MAIORIA DOS PRODUTORES NÃO SE DA CONTA QUE O ESTÃO SENDO MANIPULADO PARA ESTA TÉCNOLOGIA,PIOR AINDA COM PARCERIA GOVERNAMENTAL,SIM FOI O COMEÇO DE TUDO,COM A PROIBIÇÃO DE VENENOS QUE ESTAVAM COMBATENDO NOSSAS PRAGAS,AI O SURGIMENTO DA HELICOVERPA. È FÁCIL DEDUZIR,TIRAMOS OS VENENOS,ENTRA A LAGARTA SEM CONTROLE E SURGE A ESPERANÇA INTACTA. CONVENHAMOS DESTE JEITO SOMOS UMAS MARIONETES NAS MÃOS DESSE PESSOAL. VAMOS PEDIR A LIBERAÇÃO DOS VENENOS,SE FOR PARA CONSERVAR O MEIO AMBIENTE,ENTÃO CABE AO GOVERNO PAGAR OS ROIATES DESTA TÉCNOLOGIA PARA O PRODUTOR,E TAMBÉM TEMOS QUE REVER ESSA LEI DE PROTEÇAO DE CULTIVARES GENÉTICAMENTE MODIFICADOS,ONDE DEVEM TER ESTUDO SIM PARA POTENCIAL DE PRODUÇÃO,CONTRA O SURGIMENTO DE PRAGAS TUDO PARA FAVORECER O PRODUTOR E TORNAR O ALIMENTO COM O MAIS BAIXO CUSTO DE PRODUÇÃO POSSIVEL,E NÃO USAR A CIÊNCIA PARA FINS LUCRATIVOS PARA CIÊNCIA.

    0
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Pois muito bem Sr. Laèrcio Saretta, como o Sr. definiria o repasse dos custos para verificação em moega de material bt à indùstria que irà processar a soja? Alèm dos royalties a Monsanto quer que o serviço de inspeção e controle seja feito gratuitamente? Ou seja, quem recebe essa soja para industrialização ou comercialização deve pagar indiretamente à Monsanto? Sugiro também ao Sr., que leia primeiro os comentários, assim talvez consiga compreende-los. Mas espere, a Monsanto não è aquela companhia que fez acordo com lideranças para não pagar o que cobrou indevidamente? Ou seria ilegalmente?... Know how de calote?!!

    0
  • Laercio Jorge Pilau Santo Ângelo - RS

    LAERCIO J. PILAU - SANTO ÂNGELO -RS

    A decisão do que plantar cabe somente ao agricultor, isto é direito constitucional do cidadão,NÃO se discute.

    A Lei de Proteção de Cultivares define os direitos do obtentor mas também do produtor. No RS há uma ação coletiva, com decisão liminar que proíbe a COBRANÇA de qualquer valor na MOEGA por ocasião da comercialização da Soja, seja RR, Intacta ou qualquer outra. Entidades do Estado como APROSOJA, FETAG, FAMURS E DIVERSOS SINDICATO RURAIS estão notificando as empresas comerciantes, cerealistas e cooperativas do risco que correm caso haja descumprimento da Decisão Judicial. O "VALOR" (percentual) que a Monsanto pretende cobrar pelo que chamam de "pirataria" é simplesmente absurdo,abusivo e escorchante, ela mesma não tem CORAGEM para torná-lo público, pois então mostraria sua GANÂNCIA. Se a Monsanto tem DADOS ESTATÍSTICOS CONFIÁVEIS sobre o propalado aumento de produtividade das cultivares com a Intacta RR2Pro por que não os torna público???. Sabemos que as melhores cultivares existentes e as que vierem a ser lançadas provavelmente serão Intacta e isto nos preocupa muito pois não estaremos sujeitos a um oligopólio?????; se isto acontecer não teremos mais OPÇÃO de escolha(direito do consumidor)e não estaria ferindo a SOBERANIA NACIONAL ?????

    SE A MONSANTO É PARCEIRA DO AGRICULTOR COMO "CANTA" QUE CUMPRA A LEGISLAÇÃO BRASILEIRA E HAJA COM QUEM REALMENTE QUER O CRESCIMENTO DO AGRONEGÓCIO BRASILEIRO.

    0
  • laércio p. saretta Caçapava do Sul - RS

    (A título de esclarecimento sobre o comentário anterior:sou produtor de soja e pago os royalties embora também ache "caro" para mim.No entanto,assim como em outras atividades isso está mais para uma "impressão pessoal" e extremamente RELATIVA, do que algo que possa ser análise técnica)

    0
  • laércio p. saretta Caçapava do Sul - RS

    É,pelo visto dos comentários,mesmo num dos setores mais desenvolvidos da economia brasileira,a 'vitimização' característica da América Latina não consegue se afastar.Sugiro que quem não gosta da companhia por achá-la 'exploradora',mesmo trabalhando num país em que a pirataria corre solta,o(s) governo(s) gentilmente recolhem 40% do PIB para ENFIAR onde quer(em),não se consegue construir um açude sem ter que pedir a benção a ibamas,fepans e outros donos do pedaço; que continuem pirateando e recorrendo ao judiciário.Em tempo,a Argentina tem mais know how em termos de pirataria e calote,acho que muitos produtores poderiam fazer um treinamento com o governo da nossa vizinha hermana.Provavelmente colheríamos resultados semelhantes.

    0
  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Para os que pensam que existirá a liberdade de escolha entre rr2PRO e outras sem bt.Palavras de um diretor de uma das empresas mais importantes no setor de genética do Brasil.EM BREVE TODAS AS VARIEDADES,HOJE DE ALTA PRODUTIVIDADE POSSUIRÃO O GEN DA RR2PRO.E,TODAS AS NOVAS TAMBÉM.Se O Produtor quizser variedades sem cobrança de royaltes na moega,será até que as variedades hoje existentes segregarem,isto não passa de três ou quatro safras.Portanto,nesta festa, só resta aos produtores uma opção.DANÇAR.

    0
  • João Alves da Fonseca Paracatu - MG

    Logicamente que a Monsanto,assim como todas as outras multinacionais de sementes e defensivos agrícolas não trabalham com a lógica capitalista de custo mais margem de lucro razoável é igual a preço de venda ao consumidor,mas com uma pesquisa mercadológica de qual o valor máximo que podem arrancar do produtor,tem sido assim e nós, somos igual a manequim de alfaiate com o pnc* e rindo,precisamos de tecnologia com um custo compatível,fico impressionado com o silêncio ensurdecedor de nossa CNA.

    0
  • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR

    Colegas agricultores, é fácil evitar a "extorsão" da Monsanto. Uso a palavra extorsão pois entendo que a empresa exagera na cobrança dos royalties, que certamente devem ser cobradas para remunerar a empresa ( 1% sobre a produção talvez?), mas se aproveita dum país onde as margens de lucros das multis são exorbitantes (vide as montadoras de veículos) pra se locupletar sobre o suor do agricultor. Então façamos o seguinte: NÃO PLANTEM OS MATERIAIS COM BIOTECNOLOGIA INTACTA. Ponderem sobre o custo benefício: Há maior produtividade? Há redução de custos com inseticida? Foi a Helicoperva que atacou minha lavoura? Fazendo um bom manejo não controlo as lagartas? O custo da aquisição da semente Intacta em relação às antigas RR compensa? No final aumentou meu lucro ou o da Monsanto? Além disso quem não não se sente humilhado pelo constrangimento imposto pelos "auditores" prepostos da Monsanto fiscalizando cada carga entregue nas moegas desse Brasil afora? Pensem nisso e vamos em frente, sempre peleando nem que seja com o "toco da adaga"....

    0