Aprosoja-MT é contrária à proposta de antecipação do Vazio Sanitário no estado

Publicado em 20/08/2014 15:25 241 exibições

A Comissão de Defesa Sanitária Vegetal de Mato Grosso (CDSV/MT) aprovou segunda (18) uma proposta de ampliação do período de Vazio Sanitário para a cultura da soja em Mato Grosso. A nova data sugerida vai de 15 de abril a 15 de setembro, embora ainda precise de regulamentação por parte do Instituto de Defesa Agropecuária de Mato Grosso (Indea) para entrar em vigor. Atualmente, o período em que fica proibido o cultivo e a presença de plantas vivas de soja é de 15 de junho a 15 de setembro.

A Associação de Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT) participou da reunião e tem opinião contrária à data sugerida pela maioria dos membros da CDSV.  O problema central, no entendimento da associação, é a perda de eficiência dos produtos fitossanitários em geral que estão disponíveis no mercado, e por isso a solução deveria ser outra. “Estamos discutindo um problema presente em 130 mil hectares (a soja safrinha), deixando de priorizar uma situação crítica existente em 9 milhões de hectares”, frisa o presidente da Aprosoja-MT, Ricardo Tomczyk.

“Estamos preocupados com a perda de eficiência dos princípios ativos que compõem os defensivos agrícolas e com a eficiência dos manejos de toda a safra de soja. Precisamos repensar as nossas práticas dentro desse contexto, que é muito maior que a discussão apenas em torno da soja safrinha”, diz Marcelo Duarte, diretor executivo da Aprosoja-MT.

“Não é aumentando o vazio sanitário que se resolve o problema com o manejo de princípios ativos de fungicidas, por exemplo”, finaliza Tomczyk, deixando claro que o problema é muito mais complexo do que o que se faz crer.

A reunião da CDSV reuniu representantes de entidades de pesquisa e seus pesquisadores, produtores, órgãos de defesa sanitária, empresas e sementeiros.

Tags:
Fonte:
Ascom Aprosoja

0 comentário