Soja: Mercado está atento ao clima no BR e nos EUA, aponta Cepea

Publicado em 13/10/2014 10:22 e atualizado em 13/10/2014 11:07 302 exibições

Enquanto em algumas regiões brasileiras produtores estão à espera de maior volume de chuva para começar e/ou intensificar o plantio da soja, nos Estados Unidos, é o excesso de precipitação que tem interrompido a colheita do grão. Apesar disso, a expectativa ainda é de recordes de área e de produção nesta temporada norte-americana.

Segundo pesquisadores do Cepea, no Brasil, apenas nas praças do Sul que a umidade está propícia ao semeio da soja de verão. No extremo oeste do Paraná, primeira região brasileira a iniciar os trabalhos de campo, o plantio da soja está bem adiantado. Em Santa Catarina e no Rio Grande do Sul, as chuvas que ocorreram recentemente também animaram produtores, que já devem iniciar os trabalhos de campo na segunda quinzena deste mês.

No Centro-Oeste do País, as precipitações em meados de setembro até possibilitaram o início do semeio da oleaginosa. No entanto, nos últimos dias, produtores reduziram e outros até mesmo pararam os trabalhos de campo, devido à baixa umidade do solo. No Sudeste do Brasil, o baixo volume de chuva também preocupa.

Especificamente em São Paulo, produtores pretendem intensificar o plantio na última semana de outubro, enquanto que, em Minas Gerais, ainda não há previsões de chuvas, o que pode atrasar ainda mais o semeio do grão. No geral, as expectativas são de chuvas mais intensas a partir de meados de outubro em praticamente todo o Brasil – com exceção de Minas Gerais.

Neste contexto de incertezas e de preocupações quanto às condições climáticas, pesquisadores do Cepea comentam que a comercialização da soja segue pontual no físico brasileiro e praticamente não há fechamentos para o mercado externo.

Tags:
Fonte:
Cepea

0 comentário