MT: Helicoverpa traz ‘novidade’ nessa safra: surge a reboque da buva

Publicado em 27/11/2014 12:00 803 exibições

O plantio da safra 2014/15, em Mato Grosso, chegou à reta final nessa semana, mas antes mesmo que muitos produtores visualizassem a conclusão dos trabalhos nesse ciclo, os olhos e as ações já se voltavam para intervenções nas lavouras. Pragas e doenças, como lagartas e a ferrugem asiática, estão demandando intervenções e podem tirar o sono de agora em diante, quando as plantas passam ao estádio reprodutivo, momento em que todo cuidado é pouco e que pode fazer a diferença no rendimento por hectare e na qualidade do grão.

Até o último dia 21, 93% da área estimada em 8,8 milhões de hectares estava plantada, revelando um atraso anual de quase 5 pontos percentuais (p.p.), conforme levantamento do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). A expectativa é que de que a semeadura se encerre no início do próximo mês, totalizando as mesmas doze semanas de trabalhos da safra passada.

A demora na finalização reflete a falta de chuvas durante o início do plantio, que chegou a paralisar a semeadura no Estado durante o mês de outubro. Em razão dos intervalos de plantios, há plantas em estádios diferentes de desenvolvimento no mesmo talhão. As lavouras que sofreram com o estresse hídrico de outubro, também foram castigadas nesse mês pela estiagem de mais de dez dias em alguns pontos do Estado e por isso, há desenvolvimento prejudicado e falhas na formação dos stands. E toda essa soja castigada ou recém emergida, já está sendo ‘atacada’ por fortes inimigos, como o fungo Phakopsora pachyrhizi, causador da ferrugem, e lagartas como a Helicoverpa, temida pelo difícil combate e apetite voraz.

Leia a notícia na íntegra no site do Diário de Cuiabá

Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário