Voltou a chover na zona agrícola núcleo da Argentina; soja e milho são impactados

Publicado em 05/01/2017 08:43
353 exibições

Na Argentina, há fogo por um lado e inundações por outro. Enquanto no sul de La Pampa, Río Negro e no sul de Buenos Aires os produtores sofrem por milhares de hectares queimados por vorazes incêndios, na zona agrícola núcleo, o sul de Santa Fe e o norte de Buenos Aires, os lamentos vêm porque cada vez mais há mais água.

O temporal que começou com o Ano Novo deixou nas últimas horas registros de 140mm em Rosario, 130mm em Santa Teresa e 120mm em Álvarez, entre outros lugares do sul de Santa Fe. No entanto, na região leiteira da província, foram mais 60mm a 70mm somados aos 80mm que foram registrados no final de semana. Além disso, precipitações abundantes no norte de Buenos Aires voltaram a ser registradas. Em Trenque Lauquen, passou um tornado e houve queda de granizo, com perdas estimadas em 20.000 hectares.

(Foto publicada pelo Aire de Santa Fe)

As zonas afetadas por chuvas afetam diretamente vários produtores e diversos problemas com suas lavouras, que passam desde perda de lotes plantados com soja e milho até caminhos intransitáveis para a zona rural.

"Ainda faltam hectares para plantar de milho tardio e de segunda etapa. Entre a soja pendente para o plantio, que não foi feito por falta de umidade, são 100.000 hectares sem plantar ainda na zona núcleo", disse Cristian Russo, analista da Bolsa de Comércio de Rosário (BCR), ao jornal La Nación. "Começa a haver perdas totais por conta do alagamento de lotes que estiveram mais comprometidos pela continuidade das chuvas e das condições de alagamento", acrescentou.

Porteña, em Córdoba (Foto divulgada por TN.com.ar)

Mario Fernández Osuna, da empresa Red Surcos, no centro-oeste de Santa Fe, disse que desde o dia 23 de dezembro foram registradas chuvas entre 350mm a 430mm, que complicaram lotes mais baixos e danificaram cultivos.

Por sua parte, o governo de Santa Fe prorrogará por mais 180 dias a emergência agropecuária na província, que venceu no último dia 31 de dezembro. A medida veio após as chuvas que afetaram grande parte do território da província a partir do Natal. O fenômeno climático provocou o alagamento de cerca de 3 milhões de hectares destinados para a produção.

Santa Fe (foto divulgada no Twitter por @EJRAMOL)

No norte de Buenos Aires, as chuvas complicaram o nascimento de soja de segunda etapa de plantio, segundo explicou o assessor Julio Lieutier. Em alguns lugares já está sendo feito o replantio de lotes perdidos por conta do encharcamento.

Mapa das áreas com excesso de chuvas na Argentina, divulgado pelo Serviço Meteorológico Nacional (SMN) do país

 

A zona de Córdoba é outra que sofre com os alagamentos. Milhares de hectares estão alagados e, segundo contam produtores da região, o fenômeno vem agravando os problemas de excessos hídricos na região.

Um vídeo publicado pelo jornal La Nación mostra, a partir de um avião, o reflexo dessa situação que afeta a terras produtivas de uma das regiões agrícolas mais ricas do país.

Assista:

Tradução: Izadora Pimenta

 

Fonte: La Nación - Campo

0 comentário