Soja: Oferta elevada deve limitar reações de preços em 2017, diz Cepea

Publicado em 09/01/2017 08:44 e atualizado em 09/01/2017 12:16
995 exibições

A produção brasileira de soja deve atingir recorde em 2017, impulsionada pela rentabilidade positiva na safra 2016/17 frente a culturas concorrentes em área, como milho e algodão. No cenário global, com quase 122 milhões de hectares cultivados, a oferta mundial da temporada 2016/17 também deve ser a maior da história, de 338 milhões de toneladas, alavancada pelas produções do BR, dos Estados Unidos e, até mesmo, da Índia, segundo dados do USDA.

A demanda global também segue firme, o que deve favorecer o oitavo crescimento consecutivo das transações entre países. No entanto, como os estoques são abundantes e a relação estoque final/consumo segue aumentando, no médio prazo, as cotações em dólar não apontam sinais de reação.

No balanço dos primeiros seis dias de jan/17, o Indicador da soja Paranaguá ESALQ/BM&FBovespa, referente ao grão depositado no corredor de exportação e negociado na modalidade spot (pronta entrega), no porto de Paranaguá (PR), caiu 1,8%, fechando a R$ 74,30/saca de 60 kg na sexta.

 

Rosengren, do Fed, pede altas de juros graduais, porém mais rápidas

HARTFORD, EUA (Reuters) - O presidente do Federal Reserve de Boston, Eric Rosengren, pediu nesta segunda-feira que o banco central dos Estados Unidos acelere o ritmo de alta da taxa de juros do padrão de uma vez por ano que buscou desde 2015, alertando para os riscos de inflação se não fizer isso.

"Espero que a política monetária apropriada precise normalizar mais rapidamente do que ao longo do ano passado", disse Rosengren em declarações preparadas para um evento.

A 4,7 por cento, o desemprego está agora em um nível que é sustentável no longo prazo, disse ele, e a inflação está a caminho de alcançar a meta de 2 por cento do Fed até o final deste ano.

"Sem mais altas graduais na taxa de juros, pode-se ficar preocupado que a taxa de desemprego pode ir abaixo do nível sustentável de longo prazo --e como resultado, a inflação pode eventualmente superar a meta de 2 por cento do Fed", disse ele.

"A postura de política monetária precisará de ajuste --para impedir que a economia supere de forma dramática ambos os elementos do mandato duplo, o que colocaria a recuperação econômica em risco."

Tags:
Fonte: Cepea

2 comentários

  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    O ideal seria os EUA subirem os juros e, quarta-feira, o Copom baixar a selic em 1%..., alguns falam 0,75% e o consenso é 0,5%. Tomara que baixem 1%, para o dólar subir.

    0
  • Liones Severo Porto Alegre - RS

    Soja: Será que os profissionais e professores da ESALQ acreditam que o estoque final global de soja da safra 2015/6 é de 77,220 milhões de tons, como publica o USDA ? - Se positivo, poderiam elaborar mais e dizer onde e/ou em países estão os volumes que formam esse estoque ? - Afinal, a limitação do avanço dos preços estaria alavancado nesse argumento. obrigado

    2
    • Fernando Engler Palotina - PR

      Pois é Sr. Liones... O governo americano manipula os preços da soja utilizando os dados do USDA e os fundos de investimento, um jogo de cartas marcadas que permite a eles levarem o preço da soja aonde quiserem... Ultimamente estão fazendo um esforço tremendo para evitar a explosão dos preços, porém, para tanto, a cada dia a mentira é maior, tanto que, outro vez, 3 dias de greve de caminhoneiros no Paraná elevaram as cotações mundo afora sendo que o estoque anunciado era de mais de 50 milhões de toneladas!!! A questão é, até quando eles conseguirão manter esse preço artificial??? E como quebrar essa manipulação de informação???

      0
    • carlo meloni sao paulo - SP

      Eu acho que não e' o governo americano que manipula o preço da soja----São as trading compradoras---

      1
    • Paulo Roberto Rensi Bandeirantes - PR

      Em todas as áreas a história se repete. ... O que aconteceu com a ENRON ? A crise do sub prime de 2008 ? Quais mecanismos foram usados? Os órgãos que deveriam fiscalizar, acreditaram em auditorias fajutas de empresas contratadas pelas empresas que promoviam as falcatruas. Vejam o caso recente da Petrobrás, cujos balanços auditados não demonstravam os "desvios". Ainda vamos escutar muito sobre esse ponto, pois os investidores americanos estão, em conjunto, exigindo na justiça americana, que sejam reembolsados de seus prejuízos e, lá "o buraco é mais embaixo" ... Assim caminha a humanidade !!!... Não devemos nos esquecer que o crime comum é uma atividade que rende poucos recursos aos seus agentes, por isso eles são combatidos severamente. Quanto ao crime organizado, os recursos são abundantes e, do butim serve a milhares de agentes inteligentes, daí a dificuldade em combatê-lo. ...

      0