Em algumas áreas da zona núcleo argentina, já choveu quase a metade de um ano; soja é a mais afetada

Publicado em 10/01/2017 08:43
616 exibições

Mais tempestades, com chuvas acima de 100mm, caíram no final de semana sobre o Centro Sul da província de Santa Fe, na Argentina, agravando a situação de campos e granjas leiteiras. Nesta província, de acordo com o Ministério da Produção local, há 948.000 hectares afetados pelas inundações e 25% das granjas leiteiras correm riscos. Além disso, no oeste de Buenos Aires a situação voltou a ser complicada para General Villegas, que já havia sofrido com este fenômeno em novembro do ano passado.

Segundo a Bolsa de Comércio de Rosário, foram registrados, em menos de 30 dias, 500mm de chuvas na província de Santa Fe, ou seja, metade do que chove em um ano, nos lugares mais afetados. O centro da província, com 490mm, é um dos pontos mais críticos, juntamente com o Sul, que recebeu 419mm.

Dos cultivos, o que mais sofre é a soja de segunda etapa de plantio, que estava em desenvolvimento e ficou coberta de água.

Ontem, a Oficina de Risco Agropecuário (ORA) do Ministério da Agroindústria do país indicou que "foram mantidos ou intensificados os excessos hídricos na zona núcleo pampeana, no leste de Córdoba e no centro e sul de Santa Fe".

Em um boletim sobre a situação na zona agrícola núcleo, técnicos da cooperativa Agricultores Federados Argentinos (AFA) explicaram que "em muitos lugares', pela sequência de tempestades com fortes chuvas e, também, com queda de granizo em algumas zonas, "o potencial produtivo da safra será afetado de forma importante". Segundo a AFA, falta plantar por ali cerca de 10% de área com soja de segunda etapa de plantio.

Tradução: Izadora Pimenta

Fonte: La Nación - Campo

0 comentário