Soja: Safras & Mercado reduz estimativa de produção do Brasil para 115,718 mi de t

Publicado em 11/01/2019 12:14
284 exibições

A produção brasileira de soja em 2018/19 deverá totalizar 115,718 milhões de toneladas, com recuo de 4,2% sobre a safra da temporada anterior, que ficou em 120,808 milhões de toneladas. A previsão é de SAFRAS & Mercado. No relatório anterior, divulgado em novembro, a previsão era de 122,223 milhões de toneladas.

Entre as duas previsões, há um corte de 6,505 milhões de toneladas, o equivalente a 5,32%. A revisão para baixo é reflexo do clima desfavorável – estiagem – em alguns estados produtores.

Com as lavouras em fase inicial de colheita, SAFRAS indica aumento de 3,2% na área, que deverá ficar em 36,427 milhões de hectares. Em 2017/18, o plantio ocupou 35,121 milhões de hectares. O levantamento indica que a produtividade média deverá passar de 3.440 quilos por hectare para 3.193 quilos.

“Os problemas climáticos registrados a partir de dezembro trouxeram perdas relevantes de produtividade nos estados do Paraná e do Mato Grosso do Sul. As lavouras que mais sofreram foram as semeadas precocemente e que estavam em um momento importante do enchimento dos grãos”, explica o analista de SAFRAS & Mercado, Luiz Fernando Roque.

Segundo ele, boa parte destas perdas já é irreversível, mais ainda é cedo para a definição do tamanho das mesmas. As lavouras semeadas mais tardiamente não sofreram tanto com a falta de umidade, o que abre espaço para recuperação.

“No Sul, o excesso de chuvas na época do plantio trouxe a necessidade de replantio de diversas áreas no Rio Grande do Sul, mas não podemos falar em perdas produtivas no momento. Nos demais estados do Centro-Oeste, houve registro de problemas regionalizados que também impactaram lavouras, mas de uma forma mais isolada. De qualquer maneira, a faixa central do país não repetirá as grandes produtividades colhidas na safra passada”, acrescenta Roque.

No Norte/Nordeste, a falta de chuvas começa a preocupar, embora as lavouras tenham sido semeadas mais tardiamente. Neste momento, as lavouras continuam com a maior parte de seu potencial produtivo, embora o mesmo também seja inferior ao da safra passada.

“O clima continua como fator fundamental pelos próximos 90 dias. É importante que a regularidade das chuvas retorne para todos os estados produtores, mas principalmente para os estados do Norte/Nordeste. A confirmação do El Niño acende um alerta ainda maior para a safra brasileira”, explica.

As próximas quatro semanas serão decisivas para a definição das produções dos estados do Centro-Oeste e do Sudeste, além do Paraná. O retorno da umidade pode impedir que as perdas se alastrem. Apesar disso, as previsões apontam para poucas chuvas na faixa central do país nas próximas duas semanas, o que pode trazer aumento nas perdas. “A atenção permanece redobrada. A única certeza é que os problemas acumulados até o momento irão impedir que o Brasil colha mais uma safra recorde nesta temporada”, completa o analista.

Tags:
Fonte: Safras & Mercado

1 comentário

  • Dalzir Vitoria Uberlândia - MG

    Ta vendo Lauricio...teve um bobo...chutador que disse que a safra seria de 115 a 118 milhões de tons...desinformado..
    Burro...este vivente... né César Schmidt

    19
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Conheci em minha vida profissional os mais variados tipos...principalmente as classes ligadas ao produtor rural...senhores diproma não encurta oreia de ninguém...sabem fazer uma planilha em excel que e uma beleza....mas interpretar...entender..ver onde está o problema e implementar a solução são uma lástima...e neste espaço temos...muitos...

      9
    • LAURICIO RIBEIRO DE MORAESRIO VERDE - GO

      Como eu gosto de números: SAFRA 17/18 Área plantada: 35.139,4 Milhões de hectares com produção total de 118.033,916 T de soja (MEDIA BRASIL 3.359 kg/ha) SAFRA 18/19 Área plantada 36.100.0 Milhões de Hectares, incremento de 2,67%. ESTIMATIVA ATUAL de 115 a 118 milhões de toneladas. Na melhor das hipóteses 1.000.000 de hectares a mais para produzir a mesma quantidade da safra passada. Não chegaremos a 3.000 kg/ha na média Brasil. Os sobreVIVENTES depois contarão melhor essa história. FONTE DOS DADOS: MAPA e Conab

      1
    • LAURICIO RIBEIRO DE MORAESRIO VERDE - GO

      0
    • DALZIR VITORIAUBERLÂNDIA - MG

      Pois e Lauricio...você compila bem...começa assim...mas pra ter posição própria falta muito...quem sabe chega lá...

      17
    • LAURICIO RIBEIRO DE MORAESRIO VERDE - GO

      Segue dados compilados de várias Consultorias: Número bastante conhecido e informado pelos vários grupos de Wats: (Em Milhoes de T) AGROCONSULT=117,6/ SCOT CONSULTORIA=119,0 /CONAB=118,8/ TERRA=117,5 / AgRURAL=116,9 / FCStone=116,0 / SAFRA E MERCADO=115,7/ RABOBANK=119,0 / AGRINVEST=113,0 / SIM CONSULTORIA=104,0. Não sou analista de mercado e não tenho que me posicionar, mas dada as condições das lavouras e persistindo a seca até dia 18/01 nos estados do PR, GO, SP e MS penso em 108,0 M de T.

      0