Em Mato Grosso do Sul, lavoura de soja em fase final exige manejo eficiente para evitar perda de produtividade

Publicado em 15/01/2019 17:55
229 exibições

A safra 2018/2019 está sendo desafiadora para os agricultores sul-mato-grossenses. O clima chuvoso na época do plantio e seco no desenvolvimento das lavouras pode reduzir a produtividade da soja. A maior parte das plantações está em fase final de ciclo. O pico da colheita no estado acontece em fevereiro.

De acordo com a Conab (Companhia Nacional de Abastecimento), Mato Grosso do Sul pode ter a maior queda de produtividade do país, com redução de até 10% em comparação com o ciclo anterior. “Diante deste cenário, o manejo eficiente de pragas, doenças e plantas daninhas é indispensável para melhorar e alcançar bons resultados nesta safra. O agricultor que investir em tecnologia vai produzir melhor”, explica Helio Cabral, gerente de Marketing Soja da BASF.

Principais cuidados

Um dos maiores desafios é o controle das plantas invasoras, porque há importantes plantas daninhas resistentes ao herbicida glifosato. Nestas áreas, é preciso monitorar e utilizar manejo eficiente, incluindo herbicidas com outros princípios ativos. “As infestações de capim amargoso resistente estão cada vez mais comuns. É preciso usar herbicidas específicos para o controle de plantas de folhas estreitas, como o AmplexusTM. Quando a infestação for de buva ou caruru, ambas plantas de folhas largas, é mais indicado o herbicida Atectra®”, complementa Cabral. 

A aplicação de fungicidas indicados para cada fase do cultivo é outro cuidado fundamental para evitar perdas com a ferrugem asiática e outras doenças da soja, já que o estado é o terceiro com mais registros de ferrugem na safra 2018/2019, vindo atrás do Paraná e Rio Grande do Sul, segundo levantamento do Consórcio Antiferrugem.

Outro fator que pode comprometer a produtividade da lavoura é a presença de insetos pragas. A lagarta-cartucho (spodoptera) é uma das principais pragas que atacam as lavouras de soja. Os inseticidas Pirate® e Nomolt® 150 são altamente eficientes. O Nomolt® 150 age como regulador de crescimento do inseto, com alta seletividade aos inimigos naturais e eficiência em lagartas de difícil controle.

Safrinha

A semeadura da segunda safra (safrinha de milho) já começou em Mato Grosso do Sul e deve intensificar-se nos próximos dias, conforme as áreas de soja forem colhidas. A BASF apresenta Poncho®, um inseticida para tratamento industrial de sementes de milho. Sua formulação cria uma camada protetora em torno das sementes, protegendo-as do ataque de pragas iniciais de solo e parte aérea.

“O tratamento com Poncho® permite melhor arranque inicial da lavoura, além de um eficiente controle de pragas como cigarrinha-do-milho, coró, percevejo-barriga-verde, pulgão-do-milho, tripes, dentre outras. Este é um cuidado fundamental para o sucesso do cultivo”, explica Stael Prata Silva Neto, gerente de Marketing Milho da BASF.

Portfólio completo

Durante o Showtec 2019, a BASF apresentará a variedade de soja BS 2590IPRO licenciada pela SoyTech®, marca de licenciamento de variedades de soja da BASF. A BS 2590IPRO tem ciclo precoce e resistência a Phytophthora sojae (doença de solo). A empresa também apresenta pela primeira vez o portfólio de sementes de soja Credenz®. Com a entrada no mercado de sementes, a BASF compromete-se com o sucesso e o legado dos agricultores.

Sobre o Showtec 2019:

Onde: Fundação MS

Endereço: Estrada da Usina Velha, km 02, Zona Rural – Maracaju-MS

Data: 16 a 18 de janeiro de 2019

Website: www.portalshowtec.com.br

Tags:
Fonte BASF

Nenhum comentário