Soja sobe quase 20 pts em Chicago nesta 4ª com clima desfavorável ao plantio nos EUA

Publicado em 12/06/2019 17:29
3014 exibições

LOGO nalogo

Os preços da soja fecharam a quarta-feira (12) subindo quase 20 pontos na Bolsa de Chicago. O mercado retomou seu fôlego diante das previsões de mais chuvas para quase todo o Corn Belt nos próximos 7 dias e também nas semanas seguintes. 

O mapa trazido hoje pelo NOAA indica que nos próximos 7 dias as chuvas voltam a se intensificar muito no coração do Corn Belt, onde o plantio da oleaginosa está muito atrasado. Estados como Illinois, Indiana, Ohio, Missouri e partes de Arkansas e Kansas podem receber mais de 75 mm de chuvas entre hoje e o dia 19 de junho. 

NOAA 7 dias

Novos mapas divulgados na tarde desta quarta-feira (12) mostram que ainda há muitas chuvas previstas até o final de junho nos Estados Unidos. Desta quarta até dias 27 e 28 de junho, são esperados mais de 200 mm. 

Leia mais:

>> EUA tem chuvas intensas até fim de junho que podem comprometer plantio da soja

Assim, os futuros da oleaginosa terminaram os negócios com o julho valendo US$ 8,78, com alta de 18,75 pontos, e o agosto, US$ 8,84, subindo 18,50 pontos. 

"Esta previsão para os próximos sete dias pode dificultar ainda mais o plantio da soja, principalmente no leste do Corn Belt. A maior parte dos estados onde há esta mancha vermelha plantou menos da metade de suas áreas projetadas até o último domingo (9). E estes são os maiores produtores", diz Karen Braun, uma especialista da Reuters Internacional, em sua conta no Twitter. 

A real e efetiva ára plantada tanto de soja, quanto de milho permanece sendo o ponto-chave deste cenário. 

Assim, os traders seguem esperando pelo boletim de área que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) traz no final de junho, fazendo suas correções após um período que seria de conclusão do plantio no país. 

Ontem, em seu reporte mensal de oferta e demanda, o departamento deixou seus números para a soja inalterados, enquanto promoveu uma considerável redução em suas estimativas para o milho. A oleaginosa, afinal, ainda conta com algumas semanas de janela de plantio e, por isso, apresenta um quadro bastante incerto. 

No entanto, o economista-chefe do USDA, Robert Johansson, disse em entrevista que o órgao poderia revisar os números da oleaginosa em seu boletim de julho. 

PREÇOS NO BRASIL

No Brasil, os indicativos para a soja subiram, de carona no avanço em Chicago. Entretanto, analistas e consultores explicam que a baixa do dólar, uma estabilidade dos prêmios e também as questões ligadas ao tabelamento dos fretes mantém as cotações limitadas. 

Nos portos, as altas variaram de 0,61% a 0,88%, com as referências variando entre R$ 80,50 e R$ 82,00 por saca entre o spot e as referências para o próximo mês.

Já no interior, os ganhos chegaram a até 3,56%, como foi o caso de Sorriso, onde a soja fechou a quarta-feira com R$ 64,00 por saca. 

Tags:
Por: Carla Mendes | Instagram @jornalistadasoja
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • Beline Chaves Dourados - MS

    Soja, US No. 2 Yellow, FOB Golfo do México, US preço, US $ por tonelada métrica
    Preço em US $ por bushel: 9.1625
    Em: terça-feira, 11 de junho de 2019
    Fonte: USDA Market News

    1
    • LEANDRO CARLOS AMARALITAMBÉ - PR

      E sobre o Trigo??, ninguém fala nada.....

      1
    • GUSTAVO PENNA -

      O Sr. entra na matéria da soja pra perguntar do trigo? É cada uma...

      6
    • LEANDRO CARLOS AMARALITAMBÉ - PR

      Gustavo Penna, o Sr calado é um poeta...

      1