Cotações futuras e tendências da soja em Chicago

Publicado em 15/01/2010 10:56 1239 exibições

Fortes vendas especulativas voltam a derrubar cotações futuras de soja em Chicago.

Clique aqui para ampliar!

Comentário<?xml:namespace prefix = o ns = "urn:schemas-microsoft-com:office:office" />

Nesta quinta-feira, quatorze de janeiro de 2010, as cotações futuras de soja relativas aos três primeiros vencimentos fecharam com perdas significativas, na Bolsa Mercantil de Chicago (CME Group), com respeito aos três primeiros vencimentos futuros, conforme a tabela acima. Segundo Mario Balletto, analista do Citigroup em Chicago, determinados traders e analistas antes altistas ficaram decepcionados com a falta de capacidade exibida pelo mercado futuro de soja, no sentido de dar seguimento à alta das cotações da oleaginosa ocorrida na quarta-feira. E isto apesar do suporte representado pelos números nesta data divulgados e referentes ao total dos registros de vendas norte-americanas destinadas à exportação de commodities do complexo soja efetuadas na semana passada, conforme informado pelo Departamento de Agricultura dos EUA ( USDA).

Os registros da semana passada foram os seguintes: soja - 754.100 toneladas - em linha com as expectativas do mercado; farelo de soja - 365.700 toneladas - bem acima das expectativas do mercado; e óleo de soja - 50.000 toneladas - acima das expectativas dos participantes do mercado. No acumulado, as vendas norte-americanas já representam, com respeito às respectivas metas de exportação pré-estabelecidas pelo USDA para todo o ano-safra 2009/10, os seguintes percentuais:

• Soja: 88,1 %, por comparação à média de 67,6 %, nos cinco últimos anos-safra;
• Farelo de soja: 68,9 %, por comparação à média de 45,2 %, nos cinco últimos anos-safra;
• Óleo de soja: 57,1 %, por comparação à média de 35,7 %, nos cinco últimos anos-safra.

Alguma influência negativa foi representada pelo montante, nesta data divulgado pela NOPA - Associação Nacional Norte-Americana de Processadores de Oleaginosas e pertinente ao estoque total de óleo de soja nos EUA ao final de dezembro, ou seja, 1.176.619 toneladas, superando em aproximadamente 40.000 toneladas o número previamente esperado. Esse grande estoque resultou do surpreendente esmagamento em dezembro último de 4.473.610 toneladas de soja. Em novembro passado, o esmagamento da oleaginosa no citado país havia sido de 4.362.652 toneladas.

Nesta quinta-feira, os fundos de especulação venderam em Chicago cerca de 5.000 lotes futuros (680.000 toneladas) de soja, 2.000 lotes futuros de óleo de soja e 1.000 lotes futuros de farelo de soja. Na opinião do SojaNet, tal atuação especulativa foi muito mais devida à pressão psicológica identificada com a grande magnitude das safras sul-americanas, após a recente safra recorde norte-americana, do que a qualquer dos números acima referidos. Os participantes do mercado parecem somente ter olhos para ver a formidável oferta de soja, sem parar para pensar na igualmente formidável demanda pela oleaginosa.

A faixa média das cotações futuras em Chicago que representam real equilíbrio entre oferta e demanda globais  de soja poderá ser definida mais adiante, possivelmente se ocorrer mercado fortemente climático, durante a primavera do Hemisfério Norte, coincidindo com a época de plantio nos EUA. Cumpre ter em mente que esta é apenas uma hipótese, a ser confirmada (ou não) mais tarde.

Clique aqui para ampliar!

Clique aqui para ampliar!

Cordiais saudações,
Antonio Bueno
SojaNet

Tags:
Fonte:
SojaNet

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário