Argentina deve colher safra recorde de grãos

Publicado em 12/03/2010 10:01 e atualizado em 12/03/2010 10:58 1440 exibições
A Argentina é a terra do tango e da agricultura. A equipe de reportagem percorreu a principal região agrícola do país: as províncias de Buenos Aires, Santa Fé e Córdoba. Nesta safra, o clima ajudou os argentinos e, em relação ao ano passado, a produção de milho deverá crescer 40% e a de soja 65%.

Durante a viagem pela Argentina, foi difícil ver máquinas colhendo soja. O período de colheita inicia só em abril naquele país. Por isso, essa é uma das primeiras áreas onde o trabalho começou.

A previsão para essa safra é colher 72 milhões de toneladas de soja e milho. Para o produtor Juan Trossero, esse é um recorde para ser comemorado. “Se o tempo ajudar, será excelente”, disse.

Alejandro Calderón está otimista. Ele espera atingir uma produtividade média de quatro mil quilos por hectare de soja. “Teremos um bom rendimento em quilos de grãos por hectare”, falou.

Boa parte da safra navega pelo Rio Paraná. As lavouras mais distantes dos portos ficam a apenas 300 quilômetros. Enquanto que no Brasil, os caminhões chegam a fazer até dois mil quilômetros para o desembarque nos navios. Só o terminal no porto de San Lorenzo vai embarcar três milhões de toneladas de grãos. É a agricultura argentina, uma das mais produtivas do mundo, cheia de diferenças com a brasileira, mas muito iguais em um ponto.

“Vamos buscar sempre atualizar o conhecimento e produzir cada vez mais”, concluiu o agricultor Omar Vigoni.

De acordo com o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos, a Argentina deve exportar nesta safra sete milhões de toneladas de soja e 12 milhões de toneladas de milho.
Tags:
Fonte:
Globo Rural

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Rudy José Tozatti Pitanga - PR

    Tenho a propriedade no Município de Pitanga PR, a 70 Km de Guarapuava em direção a Campo Mourão, nas margens da rod. PR 466, antes de Pitanga 15 Km, no local chamado de Arroio Grande, Comentário: Na Argentina o Solo é muitíssimo Fértil em comparação com a nossa realidade, o VBC que empregam na cultura da soja é 50% mais baixo que a nossa realidade, nas cotações que esta a soja eles só vão ADELANTE, e com o R$ cada vêz mais valorizado vai ser uma catastrofe para os agricultores saírem deste atoleiro de dívidas, alguns não por falta de produtividade outros por formarem suas lavouras com um custo alto, com um orçamento planejado com preço da soja em torno dos R$ 42,00 e hoje a grande compradora Coamo pagando para o produtor R$ 30,00 a 31,00, vai ser difícil o produtor Brasileiro zerar as contas, ...não falando dos preços pagos nos estados do MT. etc. Vol ao assunto,não fiz comentário sobre a precipitação torrêncial q ocorreu na fase de pulv,a Ferrugem detonou os 5(cinco)trat.-30% produt.

    0