Preço baixo da soja em Mato Grosso não represa a comercialização

Publicado em 30/03/2010 10:31 597 exibições
A safra 09/10 da soja, em Mato Grosso, vai chegando ao fim nesta última semana de março. Apesar das intensas chuvas, os trabalhos no campo seguem adiantados em relação ao mesmo período de 2009. Outra adversidade superada é que mesmo com preços da saca desvalorizados em cerca de R$ 10 neste período, a comercialização também atinge volumes acima do registrado em igual período do ano passado.

Segundo o 10° levantamento de comercialização divulgado pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), 63% da safra 09/10 – estimada em 18,37 milhões de toneladas – estão comercializados, uma evolução mensal de 6%, estando também seis pontos percentuais acima do verificado em março de 2009.

De acordo com o Imea, esse adiantamento – mesmo com os preços em queda - da comercialização faz parte de uma tradição do sojicultor, que por força de necessidade de capital para investir no plantio de uma nova temporada, inicia a venda do que nem plantou cerca de seis meses antes de colher. “As vendas antecipadas foram registradas ainda em julho do ano passado”. Neste levantamento, o Imea destaca que cidades como Sorriso, Lucas do Rio Verde e Sapezal destoam da média com 70%, 80% e 75% comercializados respectivamente, algo comum para cidades-pólos e que sempre são as primeiras a dar o start da nova temporada.

PRESSÃO - Apesar dos baixos preços dos últimos dias, a grande oferta do grão tem pressionado o mercado e obrigado os produtores a aproveitarem os esporádicos picos de preços para efetuar vendas de reduzidos volumes apenas para cobrir custos nas propriedades de maneira pontual.

O presidente da Associação dos Produtores de Soja e Milho do Estado (Aprosoja/MT), Glauber Silveira, os preços da soja estão muito baixos. Atualmente, a saca está cotada a preços entre R$ 23 e R$ 26 em algumas regiões, “os piores das últimas safras”. No ano passado, nesta mesma época do ano, o produto estava sendo vendido por preços entre R$ 37 e R$ 39.

COLHEITA – O Imea apurou que até o dia 25, a área colhida no Estado estava em 98%, aproximadamente 6 milhões de hectares, com uma evolução semanal de cinco pontos percentuais. A cobertura total desta temporada chegou a 6,12 milhões de hectares.

Como aponta o Imea, a pequena evolução é natural devido à redução do ritmo no fim dos trabalhos, mas foi dificultada também pela grande incidência de chuvas. Neste ciclo pôde-se observar que os trabalhos no campo se concentraram fortemente no mês de março, com 48% da área colhida, ao contrário do ocorrido em 08/09, quando a colheita se estendeu a meados de abril.

ALERTA - As médias de produtividades finais serão divulgadas na próxima semana pelo Imea, mas por enquanto o que está sendo colhido está entre 48 e 57 sacas por hectare (sc/ha).

Ainda na semana passada, de antemão, o presidente da Aprosoja/MT, já alertava para o baixo rendimento por hectare. “Nossos cálculos apontam custo médio de 50 sacas de soja por hectare. Se vamos colher 47 – previsão do momento -, teremos prejuízo de três sacas por hectare. O produtor terá de absorver esta perda. Como se vê é mais uma safra frustrada ao segmento”.
Tags:
Fonte:
Diário de Cuiabá

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário