INTERNACIONAL: Demanda firme da China dá suporte aos preços da soja

Publicado em 16/04/2010 10:08 e atualizado em 16/04/2010 15:11 1167 exibições
As cotações da soja avançaram pelo sexto dia em Chicago, seguindo para seu maior ganho semanal em mais de quatro meses. A alta dos preços se deu, em partes, por conta da demanda firme da China, que pode aumentar as importações de óleo de soja dos Estados Unidos e do Brasil, depois de ter bloqueado o produto vindo da Argentina.

Segundo Wagner Rossi, ministro da agricultura, a nação asiática irá favorecer os fornecedores de óleo de soja dos Estados Unidos, pois os norte-americanos possuem plantações no país. Paralelamente, Rossi afirma ainda que o “Brasil tem a oportunidade de tirar vantagem desse embargo aumentando suas exportações”.

O presidente Lula deve se reunir com o presidente chinês Hun Jintao para discutir a questão das exportações brasileiras de óleo de soja, pois o Brasil está se preparando para “ocupar” o lugar deixado no mercado pela Argentina por conta do não cumprimento de padrões de qualidade impostos pela China.

No entanto, os chineses ainda estão processando pedidos de autorização para carregamentos de óleo de soja vindos da Argentina, informou o Ministério do Comércio. O governo irá melhorar o sistema usado nas importações da commodity argentina, e as duas nações podem resolver o conflito.

A China, que é o maior consumidor e importador de soja e óleo de soja do mundo, irá representar, este ano, 54% das importações globais da oleaginosa e um quarto das compras mundiais de óleo comestível. As informações são do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos). O Centro de Informações Nacional de Óleos e Grãos da China divulgou uma previsão no último dia 14 de mostrando que o volume de importações mensais de soja pode chegar a um recorde de 5,5 milhões de toneladas em maio.

Leia algumas notícias publicadas sobre o conflito China x Argentina:

Argentina e China minimizam rixa no óleo de soja

INTERNACIONAL: Compradores chineses deixam de solicitar permissões de importação para óleo de soja argentino

Brasil aproveita conflito comercial entre China e Argentina e oferece óleo de soja ao país asiático

Com informações do Clarín e da Bloomberg
Tradução: Carla Mendes

Tags:
Fonte:
Redação N.A.

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

1 comentário

  • Vilson Ambrozi Chapadinha - MA

    Meu negócio é plantar ,e no momento é soja ,por isso um de meus insumos é informação,porém não compro opinião de ninguém,e,sim procuro formar a minha a partir de dados e de experiências de vida.Então formei opinião sobre o mercado,e compartilho sem pretenção nenhuma,com quem quizer ouvir.La vai ela.Produtores estamos bem proximos de resolver nossos problemas financeiros e com a nossa atividade.O tempo de vacas magras esta no fim,se segurem porque as vacas vão emagrecer pra outras bandas.Simplesmente porque A DEMANDA NUNCA CAIU,E NEM ESTAGNOU ,pelo contrario as proteínas de alto valor,tipo camarão,carnes especiais,exoticas,etc.. foram substituidas pela barata,SOJA,então essa superhipersafra é INSUFICIENTE,chegamos no limite,vamos agradecer as ongs e aos mings ,por não podermos mais responder prontamente ao aumento da demanda via novas areas,só assim pagaremos nossas contas.Depois ...bem depois o problema não é nosso...!

    0