RS: Alta na produção de soja deve garantir recorde na safra do Estado

Publicado em 21/05/2010 07:40 280 exibições
Com produtividade garantida pelo clima favorável, agricultores gaúchos devem atingir safra recorde de grãos em 2009/2010, segundo dados divulgados ontem pela Emater/RS. Ao todo, as lavouras do Estado devem produzir 24,37 milhões de toneladas, na soma das cinco principais culturas plantadas no Rio Grande do Sul: soja, milho, arroz, trigo e feijão.

O volume representa uma alta de 10,8% sobre os 22 milhões de toneladas colhidas no ano passado. O maior impulso veio dos produtores de soja. Depois de amargar prejuízos com estiagem no período 2008/2009, a cultura neste ano teve alta de 27,1%. Sozinho, o grão assegurou um acréscimo de 2,1 milhões de toneladas na produção que, no total, teve incremento de 2,3 milhões de toneladas.

A presidente da Emater/RS, Águeda Mezomo, explica que a alta é proporcionada pela combinação entre clima favorável, com sol e chuva nos momentos ideais, e maiores investimentos em tecnologia dos produtores, movimento incentivado pelas perspectivas positivas na economia brasileira. Além disso, o resultado foi impulsionado pela preferência da maior parte dos produtores pela soja, em vez do milho, em função do melhor cenário de preços.

– A soja é vista como um mercado seguro, garantia de dinheiro no bolso – disse Águeda.

Com menor área, produção do milho cresceu 28,8%

Produtores de soja e milho não têm motivos para se queixar do clima, conforme o engenheiro agrônomo Célio Colle, assessor da presidência da Emater/RS. Um exemplo é a chuva que caiu a partir da segunda quinzena de março. Antes disso, as principais regiões produtoras passaram por um período de cerca de 20 dias sem chuva, o que limitou, na época, as projeções para a colheita de soja da Emater/RS a um patamar de 9,3 milhões de toneladas.

Com a precipitação acumulada de lá para cá, a produtividade foi superior à esperada, elevando a produção acima de 10 milhões de toneladas.

No cultivo de milho, a chuva no momento certo permitiu alta de 28,8% na produção, mesmo com área plantada 16,2% menor. O levantamento divulgado ainda pode sofrer ajustes nos próximos meses, com números definitivos das culturas de verão, que não devem ter alterações expressivas em relação aos dados apresentados ontem, de acordo com o secretário da Agricultura, Gilmar Tietböhl. Mudanças nos números gerais também podem vir da safra de trigo, cuja colheita ocorre no último trimestre.

Tags:
Fonte:
Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário