INTERNACIONAL: Importações chinesas de soja podem superar 46 milhões de toneladas

Publicado em 25/05/2010 11:17 1241 exibições
A China, o maior consumidor de soja do mundo, pode importar mais do que as 46 milhões de toneladas da oleaginosa previstas para este ano por conta do aumento da demanda por óleo vegetal, ração e amido no país.

O país asiático compra mais da metade das exportações mundiais de soja e pode, também, se tornar um grande importador de milho este ano. O desempenho da demanda chinesa, que foi melhor do que o esperado, impulsionado pelo crescimento do país, somado ao embargo chinês ao óleo de soja argentino, têm dado sustentação às cotações em Chicago e contribuído para o rally dos preços.

O consumo de carne por parte de 1,3 bilhão de chineses dá suporte aos preços do grão a granel. "O aumento do consumo de carne na China está intimamente relacionado com o crescimento do PIB", que está acelerado este ano, afirma Cao Zhi, diretor do Centro Nacional de Informações de Grãos e Óleos da China.

“Há uma possibilidade de que as importações de soja em 2009/2010 poderiam ser superiores a 48 milhões de toneladas”, disse o líder de operações do Noble Group Ltd, na China, Henry Wang. Segundo Wang, isso ainda depende do volume de carregamentos em julho e agosto.

O USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) este mês aumentou suas expectativas para as importações da China de 43,5 milhões de toneladas (em Abril) para 46 milhões de toneladas de soja até 30 de setembro. Para o ano comercial 2010/11, a previsão é de 49 milhões de toneladas.

Em junho, os carregamentos podem alcançar um recorde de 6 milhões de toneladas, depois de ter excedido as 5 milhões de toneladas em maio. Esse incremento pode acontecer em decorrência do atraso de alguns carregamentos agendados nos meses anteriores.

Excesso
O aumento das importações de soja por parte da China, no entanto, pode causar uma situação de excesso de oferta, disse Wang. Algumas empresas, preocupadas com as importações cada vez maiores, estão pensando em adiar as compras ou até mesmo anular alguns carregamentos, afirma.

Óleo de soja da Argentina
Em março, a China bloqueou os carregamentos de óleo de soja da Argentina, que é o maior fornecedor mundial deste produto, como parte de uma disputa comercial. O movimento foi feito em resposta às investigações antidumping por parte da nação sul americana aos produtos chineses.

As importações de óleo de soja no ano comercial 2009-2010 podem cair 40%, chegando a 1,5 milhões de toneladas, depois que o governo proibiu carregamentos do produto vindos Argentina, disse o diretor do Centro Nacional de Informações de Grãos e Óleos da China.

Com informações da Bloomberg
Tradução: Carla Mendes

Tags:
Fonte:
Redação NA

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário