Venda de soja recua, e produtor avalia mercado

Publicado em 20/08/2010 07:41 e atualizado em 20/08/2010 10:13 720 exibições
Após o ritmo forte de comercialização no final de julho e no início deste mês, os produtores de soja avaliam com mais cautela o mercado. Os negócios efetuados são poucos, tanto no mercado físico como no futuro.

Há duas semanas, ocorreu forte pressão nos preços das commodities nos mercados internacionais devido à seca na Rússia e à maior presença dos fundos nas negociações agrícolas.

A soja seguiu o mercado, e o primeiro contrato subiu para US$ 10,60 (R$ 18,62) por bushel (27,2 kg) na primeira semana na Bolsa de Chicago. Ontem, ficou em US$ 10,20.

Em Rondonópolis (MT), os produtores que optaram por vendas futuras obtinham US$ 18,80 por saca de soja na quarta-feira.

Ontem, os preços estavam em US$ 18,60, segundo acompanhamento de Rodrigo Nunes, analista da AgRural de Cuiabá (MT).

Nas vendas futuras, produtor e trading acertam o valor da soja a ser entregue em fevereiro de 2011. Esse valor pode ser determinado em reais ou em dólares.

Em Sorriso, outra cidade de Mato Grosso -o principal Estado produtor de soja- , a saca estava ontem a US$ 16,50, abaixo dos US$ 17,60 de Sapezal, também no mesmo Estado.

Já no sudoeste de Goiás, a saca de soja convencional era negociada a US$ 19 ontem. Na semana passada, atingiu US$ 20.

Os negócios são poucos porque os produtores estão à espera de preços melhores, diz Nunes. Além disso, alguns já conseguiram cobrir parte dos custos e podem esperar mais para efetuar a comercialização.

No porto paranaense de Paranaguá, a soja foi negociada ontem a R$ 44 por saca, enquanto, em Cascavel, o produto estava a R$ 40 no disponível, para pagamento neste mês.

A recuperação de preços da soja nas últimas semanas fez com que 26% da oleaginosa a ser colhida na safra 2010/11 já tenha sido comercializada, segundo Otávio Celidonio, superintendente do Imea (Instituto Mato-Grossense de Economia Agropecuária).

Tags:
Fonte:
Folha de São Paulo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário