Circuito Tecnológico: Começa 2ª etapa da rodada técnica nas regiões Sul e Leste

Publicado em 26/10/2010 08:50
242 exibições
As cinco equipes do Circuito Tecnológico Aprosoja no Campo percorrem esta semana as regiões Sul e Leste do estado com o objetivo de fazer um raio-x da safra de soja 2010-2011. Esta é a segunda etapa da rodada técnica que segue até o dia 29 de outubro para fazer um levantamento das expectativas de produção quanto às tecnologias aplicadas e os sistemas de plantio utilizados em Mato Grosso.

Na última semana, os técnicos coletaram 494 amostras de sementes, um recorde em relação à primeira edição. Na safra 2009/2010, no total foram 300 amostras. Agora, 8.924 quilômetros já foram percorridos na abrangência de 19 municípios das regiões Norte e Oeste. A meta será visitar 300 propriedades rurais, o mesmo número do ano passado, e percorrer 20 mil quilômetros até o final do Circuito.

Os grupos já visitaram 176 propriedades que correspondem ao número de questionários qualitativos e quantitativos aplicados. As perguntas são relacionadas às questões técnicas e econômicas, como incidência de pragas e doenças, sobre acesso ao crédito e condições do parque de maquinários e investimentos na propriedade em geral.

Entre os principais pontos observados em campo está a irregularidade das chuvas no estado que atrasou o plantio e ainda preocupa os produtores. Apesar disso, as equipes relatam que pancadas isoladas de chuvas favoreceram o plantio nas propriedades visitadas em Sapezal, Campos de Júlio e Campo Novo do Parecis.

Os relatos constam nos diários de bordo das equipes, que destacaram ainda que alguns agricultores já consideram a possibilidade de replantio de soja nas áreas onde ocorreu a semeadura antecipada, principalmente na segunda quinzena de setembro, após o fim do Vazio Sanitário. Alguns dos produtores entrevistados também acreditam na possibilidade de diminuição da área plantada de milho segunda safra.

Para tentar minimizar os efeitos climáticos, alguns produtores apelam para a tecnologia para tentar aproveitar a umidade no solo. Observamos o uso de equipamentos de alta tecnologia, como plantadeiras a vácuo que aumentam a velocidade do plantio, ressalta um dos relatórios.

Na região Norte a principal preocupação é o aparecimento da Soja Louca II, anomalia que altera o processo natural de maturação da planta, fazendo com que ela permaneça verde no campo e causando impactos na produtividade da oleaginosa. Na safra passada o fenômeno apareceu em vários municípios no estado e em julho deste ano, uma rede de pesquisa liderada pela Aprosoja em parceria com a Embrapa, instituições de pesquisa e universidades foi formada para acompanhamento da anomalia.

O Circuito Tecnológico é uma realização da Aprosoja/MT, com o patrocínio da Valtra, DVA, Sicredi e apoio dos parceiros Indea/MT, Imea, Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), Univag e Unemat.
Tags:
Fonte: Aprosoja

Nenhum comentário