Mesmo com estoques amplos, China continua importando muita soja

Publicado em 26/10/2010 11:12
866 exibições
Internacional - De acordo com um especialista em alimentos, os suprimentos de soja e óleo comestível na China são capazes de satisfazer a demanda interna por conta dos estoques e das crescentes importações da oleaginosa.  Nós temos estoques amplos, disse Shang Qiangmin, diretor do CNGOIC Centro Nacional de Informações sobre Grãos e Óleos da China.

Entretanto, de acordo com o diretor do Centro Nacional,  as importações ainda terão um enorme aumento neste ano. Segundo números do CNGOIC, as compras devem atingir 54 milhões de toneladas, superando muito o volume do ano passado de 42,55 milhões de toneladas.

Em outubro, as importações chinesas de soja devem alcançar as 4,65 milhões de toneladas e 4,5 milhões de toneladas em novembro e mais 4,7 milhões de toneladas em dezembro. Sem dar números específicos, Shang disse que os estoques chineses de soja cresceram significativamente nos últimos dois anos.

A nação asiática é a maior importadora mundial da oleaginosa e extremamente dependente do mercado internacional. Cerca de 60% do óleo comestível do país é importado. As importações incluem ainda extração de petróleo, soja e outras oleaginosas.

As vendas da soja norte-americana apresentam um incremento de 85% alcançando as 2,02 milhões de toneladas na semana que terminou no dia 14 de dezembro. Desse total, 72% das importações tiveram como destino a China.

Preços - Segundo analistas, as cotações da soja na Bolsa de Chicago já sobem pela terceira semana e as especulações de que a China irá sustentar suas compras estimulam ainda mais o avanço dos preços. Aliado a isso, o  USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), no início deste mês, reduziu sua previsão de produção de grãos para este ano, o que também atuou como catlisador para a subida dos valores.

"O rally de preços foi impulsionado pela alta no mercado internacional devido à alta sinergia entre o mercado nacional e mundial", disse ele.

A alta atingiu também o mercado de óleo comestível nos últimos três meses, o que gerou uma preocupação de que o aumento no atacado pudesse ser repassado também para o varejo. O preço médio do óleo de soja subiu mais de 30% por tonelada no final de outubro, segundo números do CNGOIC.

Com informações do China Daily
Tags:
Fonte: Redação NA

Nenhum comentário