Soja/MT: atraso vai prejudicar plantio do milho safrinha

Publicado em 01/11/2010 09:57
723 exibições
A chuva que caiu nos últimos dias em território mato-grossense não foi o suficiente para manter em ritmo crescente do plantio da safra 2010/2011 de soja. Conforme dados divulgados na sexta-feira (29) pelo Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea), a oleaginosa foi plantada em apenas 31,1% da área estimada para ser cultivada no Estado, que poderá chegar a 6,241 milhões de hectares nesta temporada. O desempenho é menor, em 20 pontos percentuais, sobre o que foi observado, no mesmo período do ano passado que chegava a 51,1% da área.

Este cenário, segundo o diretor-administrativo da Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja-MT), Carlos Henrique begin_of_the_skype_highlighting     end_of_the_skype_highlighting Fávaro, deverá impactar diretamente no plantio do milho safrinha que ocorrerá no segundo bimestre do ano que vem. Ele explica que a redução da área para safrinha poderá ser equivalente aos indicadores do desempenho do plantio da soja. "Ainda não temos os números fechados. Pode ocorrer ainda estiagem mais intensa obrigando o produtor a replantar o que deveria já estar semeado".

De acordo com o boletim do Imea, a região mato-grossense que possui melhor desempenho no plantio da oleaginosa é o Oeste, cujo percentual é de 42,2% de 948,2 mil hectares. Nesse caso, destaca-se o município de Sapezal (a 480 km de Cuiabá), também se consagrando como o melhor desempenho no plantio da soja até o momento, 52% no total de 370 mil hectares.

Por outro lado, poucas lavouras de soja no Nordeste de Mato Grosso foram semeadas, totalizando apenas 9% de 652,2 mil hectares. Já em Nova Xavantina (a 645 km de Cuiabá), o desempenho no plantio da soja é o menor entre os demais municípios, alcançando 5% dos 40 mil hectares. Sorriso, que detém a maior área destinada ao plantio (600 mil hectares), semeou em 40% da área.

O diretor administrativo da Aprosoja acrescenta que essas regiões não sentirão tantos prejuízos quanto o Médio-norte mato-grossense. "Isso porque, nos municípios que compõem essa região, como Lucas do Rio Verde e Sorriso tradicionalmente plantam mais a segunda safra de milho". O Imea mostra que o Médio-Norte do Estado plantou, até outubro, 36,2% da área de 2,466 milhões (ha).

Comercialização - Segundo Fávaro, 45% da soja que ainda está sendo plantada foi comercializada no mercado futuro. "Mesmo com todos os problemas estamos acima do desempenho passado, que nessa época era de 20%".
Tags:
Fonte: A Gazeta

1 comentário

  • Márcio de Freitas Rondonópolis - MT

    certo, no atual cenário considera-se esse comentário. mas que as chuvas pra frente irão ocorrer, isso vai (previsão).

    0