Seca prejudica produção de soja na Argentina e eleva preço internacional do grão

Publicado em 04/01/2011 10:26 883 exibições
Commodity já beira os US$ 14 o bushel, valor não registrado desde junho de 2008.
Ainda que o governo argentino tenha estimado uma colheita de 52 milhões de toneladas de soja, especialistas projetam que a safra seja de 43 milhões de toneladas – 21,8% a menos do que em 2009. A previsão de escassez do produto movimenta o mercado internacional, gerando elevação no preço da commodity, que beira os US$ 14 o bushel, valor que a Bolsa de Chicago não registrava desde junho de 2008. O aquecimento no mercado anima produtores do sul do Brasil.

Pasto amarelado, gado magro, plantações de diversas culturas secas. Assim é o cenário das terras argentinas a poucos quilômetros da fronteira com a cidade de Uruguaiana, no Rio Grande do Sul. Localizada em uma das regiões mais castigadas pelo fenômeno La Niña, a estância Timboy, em Monte Caseros, a 400 quilômteros de Buenos Aires, já calcula os prejuízos. O capataz da propriedade, Ricardo Passarella, diz que, dos 230 hectares de soja plantados normalmente em setembro, neste ano, só foram semeados cem.

– Ainda nem sabemos se vamos colher nesta área porque a planta está pouco desenvolvida para a época devido à seca – diz Passarella.

Com um olho na lavoura e outro nas cotações das bolsas internacionais, o agricultor Pedro Margutti, 60 anos, acompanha animado o desenvolvimento dos 200 hectares de soja, em Bozano, no noroeste gaúcho. A expectativa de Margutti é superar as 59 sacas por hectare colhidas no ano passado.

Levantamento da Emater aponta que o plantio de soja no Rio Grande do Sul está quase finalizado. O desenvolvimento das áreas já plantadas é considerado normal. Por hora, a seca afeta só a região sul. Nessa segunda, dia 3, o município de Herval decretou situação de emergência.

Tags:
Fonte:
Zero Hora

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário