Soja: Mercado fecha em baixa com incertezas sobre demanda chinesa

Publicado em 26/04/2011 17:41 e atualizado em 26/04/2011 19:32 730 exibições
A soja encerrou o pregão diurno em queda nesta segunda-feira na Bolsa de Chicago. As perdas foram modestas em relação às registradas no meio da sessão - que foram de mais de 13 pontos em alguns momentos.

"O mercado até se sustentou no fechamento, mais uma vez com compras técnicas e uma maior fraqueza do dólar, porém, segue sem direcionamento", explica Ricardo Lorenzet, especialista em mercado de grãos da XP Investimentos.

As cotações ainda refletiram as incertezas sobre a demanda, principalmente a chinesa. A nação asiática continua cancelando algumas compras por conta das margens negativas nas indústrias de esmagamento do país.

Além disso, as expectativas e o temor sobre o anúncio de novas medidas de aumento das taxas de juros por parte do governo de Pequim para conter a inflação também refletiram negativamente no mercado.

Além disso, o mercado adotou uma postura mais cautelosa às vésperas do anúncio das decisões do FED - Federal Reserve (o Banco Central norte-americano) sobre juros e contenção da liquidez nos EUA.

Outro fator que pressionou os preços nesta segunda-feira foi a entrada da safra da América do Sul. A produção sul-americana alivia a pressão sobre os ajustados estoques norte-americanos e tira o foco das compras dos Estados Unidos.

Já o milho conseguiu recuperar o fôlego e, depois de operar boa parte no campo negativo, fechou no azul. Mesmo diante de um dia de realização de lucros, o atraso do plantio do cereal nos EUA por conta do clima úmido e frio no país continuou motivando as altas dos preços.

O problema climático que compromete a semeadura do cereal e que atua como fator de sustentação para os preços, pode pressionar o mercado da soja em Chicago, uma vez que pode resultar em um aumento da área de cultivo da oleaginosa.

Veja como ficaram as cotações dos grãos no fechamento da Bolsa de Chicago:

>> SOJA

>> MILHO

Tags:
Por:
Carla Mendes
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário