Pesquisas auxiliam produtores no combate aos nematoides

Publicado em 30/09/2011 14:27 481 exibições
Com o intuito de encontrar meios de conviver com a doença nas lavouras de Mato Grosso, a Aprosoja, em parceria com a Embrapa Soja de Londrina, no Paraná, e a Universidade Federal de Viçosa (UFV), em Minas Gerais, está desde a safra 2009/2010 realizando pesquisas sobre o tema. Resultados das duas pesquisas em andamento foram apresentados nesta quinta (29), na reunião da Comissão de Gestão da Produção, na sede da entidade, em Cuiabá.

Os estudos revelaram que até 50% da produtividade pode ser perdida nas áreas que estiverem infestadas com a doença. A Embrapa pesquisou áreas de soja com e sem sintomas de ataque do pratylenchus brachyurus, localizadas em três regiões de Mato Grosso – Querência, Sinop e Campos de Júlio. De acordo com o pesquisador de manejo do solo da Embrapa Soja, Júlio Franchini, “a pesquisa está evoluindo. Estamos plantando uma espécie de planta armadilha em solos infestados, após a colheita da soja, para ajudar no combate da proliferação da doença”.

De acordo com o coordenador da Comissão de Gestão de Produção da Aprosoja-MT, Naildo Lopes, a comissão detectou aumento dos nematoides de lesões radiculares nas lavouras mato-grossenses e está buscando meios para diminuir a proliferação. “O nematoide de lesão radicular era pouco pesquisado e quando detectamos que a incidência estava crescendo a comissão buscou a Embrapa e a UFV para auxiliar nas pesquisas”.

Das cerca de 500 amostras de soja coletadas para análise de nematoides na safra 2010/2011, em 96% foram encontrados nematoides das lesões radiculares, nome popular para o pratylenchus brachyurus. Para a engenheira agrônoma, mestre em fitotecnia e responsável pela pesquisa da UFV, Lígia Lopes, ainda não há como controlar totalmente a doença, mas o manejo é de extrema importância para conviver com os nematoides. Neste momento, “ele é a melhor ferramenta que o produtor tem em mãos para evitar a proliferação dos nematoides nas plantações”, conclui.

Tags:
Fonte:
Aprosoja + Folha do Estado

0 comentário