Circuito Tecnológico encerra viagens ao interior de MT

Publicado em 28/10/2011 17:04 354 exibições
As cinco equipes do 3º Circuito Tecnológico encerraram nesta sexta (28) as duas semanas de viagens ao interior do estado. Funcionários da Aprosoja, pesquisadores, patrocinadores e estudantes percorreram quase 20 mil quilômetros visitando fazendas produtoras de soja nas quatro regiões de Mato Grosso. O objetivo da Ação é traçar um raio-x da safra 2011/2012. Para isso, foram coletadas amostras de sementes e fertilizantes, além de informações gerais sobre a área cultivada, desafios e expectativas dos produtores.

“Mais uma vez tivemos uma ótima receptividade por parte dos produtores, as porteiras estavam abertas, grande parte sabia da ocorrência do Circuito Tecnológico. Então, fomos muito bem recebidos, as informações foram prestadas com muitos detalhes, com muita certeza do que o produtor fez, vem fazendo e os seus anseios e expectativas desta safra 2011/2012”, avalia o gerente técnico da Aprosoja, Nery Ribas.

Durante estas duas semanas de visitas, as principais questões expostas pelos produtores são referentes à logística, legislação ambiental e trabalhista, bem como expectativas em relação à pesquisa. “A logística em diversas regiões por dificuldades, por estradas em péssimos estados, aumentando custos e diminuindo rentabilidade. Nas questões ambientais, percebemos o aguardo pela aprovação do Código Florestal com ansiedade. Todo mundo tá buscando a regularização. O produtor tem interesse nessa segurança jurídica por várias questões, pra buscar crédito, garantias, e poder produzir com tranquilidade. Na pesquisa também, tanto na biotecnologia como nas cultivares, não só no potencial produtivo, mas sim naquelas resistentes a pragas, a doenças, aos nematoides”, esclarece Nery, que foi coordenador da Equipe 4.

Na primeira semana de Circuito, foram 287 amostras de sementes de soja, pelo menos 25 amostras de fertilizantes e aproximadamente 200 propriedades visitadas. O material foi encaminhado aos laboratórios especializados e as análises já começaram. Agora, amostras e informações trazidas pelas equipes nesta segunda semana também serão encaminhadas ao processamento. O retrato da soja 2011/2012 deve ser apresentado pela Aprosoja dia 24 de novembro.

“Tendo os resultados na mão, vamos direcionar tanto a pesquisa agronômica, a pesquisa de produção para as entidades de pesquisa tanto oficiais quanto privadas, definindo investimentos para trazer resultados. E de outro lado, também na questão politica e econômica, mostrando o que a base, o produtor, o que o interior está precisando. De posse desse raio-x, nossa diretoria vai à Brasília, nos pontos chaves de governo, nas instituições e entidades financeiras, mostrando que nós temos potencial e o que precisamos regularizar e ajustar. E com números a gente pode conseguir maior progresso e desenvolvimento para Mato Grosso”, finaliza Nery.

A largada oficial para a terceira edição do Circuito Tecnológico foi na segunda (17.10), na Fazenda Santa Luzia, de propriedade da família Badan, em Nova Mutum. A proposta é acompanhar as tecnologias utilizadas pelos agricultores no plantio da próxima safra. A meta é visitar 400 propriedades, aplicando questionários e coletando as amostras que serão enviadas para laboratórios credenciados para análise.
 
Participam da caravana o gerente técnico da Aprosoja, Nery Ribas, os supervisores de campo Franciele Dal’ Maso, Liliane Rocha, Rodrigo Fenner, Eliandro Zaffari, bem como pesquisadores e alunos da Embrapa, Unemat, Univag, UFMT, jornalistas e representantes dos patrocinadores – Basf, Serrana e Sicredi.

Metodologia – Cada uma das cinco equipes com quatro participantes teve um roteiro e uma meta de amostras a ser cumprida por dia em propriedades escolhidas ao acaso. O proprietário ou gerente que os recebia prestava as informações, tanto qualitativas quanto quantitativas. O questionário inclui questões de produção, variedades, qualidades de fertilizantes e assim por diante; questões econômicas, de crédito, de expectativas de novas aquisições de máquinas ou não; e também questionamentos ambientais. Além disso, coletavam sementes utilizadas durante o plantio para que seja feita uma análise tanto de patologia quanto de germinação junto à UFM; e fertilizantes que serão encaminhados para análise em laboratórios devidamente credenciados pelo Ministério da Agricultura.

Estimativas – O Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea) aponta uma área de 6,78 milhões de hectares plantados com soja para a safra 2011/2012, com estimativa de produção de 21,5 milhões de toneladas. A última safra (2010/2011) registrou 6,41 milhões de hectares plantados com a oleaginosa, garantindo uma produção de 20,5 milhões de toneladas do grão.

Tags:
Fonte:
Aprosoja

0 comentário