Brasil terá açúcar que não engorda e não provoca cáries

Publicado em 29/05/2012 09:51 856 exibições
Já usado no exterior, o produto poderá agora ser produzido nacionalmente graças a tecnologia desenvolvida pela Unicamp.
Um açúcar que não engorda , não provoca cáries e pode ser consumido por diabéticos passa a ser produzidoagora no Brasil, graças a um novo modo de fabricação, desenvolvido por uma pesquisadora da Universidade de Campinas (Unicamp). O açúcar FOS, (sigla para fruto-oligossacarídeos), possui uma molécula  muito grande para ser quebrada pelo organismo, sendo absorvido por micro-organismos que vivem na parte final do intestino, tendo um papel probiótico. Esses organismos, ao ingerirem o açúcar,crescem e ajudam no tratamento de algumas enfermidades, como problemas de absorção de cálcio, diabetes e câncer. Por causa do  tamanho, o FOS também não consegue ser metabolizado pelos organismos que ficam alojados na boca e que causam a cárie e as placas dentárias.

 Em países do exterior, o FOS já é utilizado , mas no Brasil seu consumo ainda é restrito. De acordo com Elizama Aguiar de Oliveira, da Faculdade de Engenharia de Alimentos da Unicamp e autora do estudo, é possível encontrar no Brasil alguns produtos que já contenham FOS. A variabilidade, no entanto, é pequena em função dos custos. Uma lata de leite em pó com FOS, por exemplo, tem preços entre 20 reais e 40 reais. "Se produzido nacionalmente, esses custos podem ser reduzidos", diz.

A metodologia desenvolvida por Elizama emprega uma liga de nióbio (um minério usado em alguns tipos de aços inoxidáveis) e de grafite para imobilizar a enzima que irá produzir o açúcar. Isso evita que a enzima se dissolva, obtendo um xarope rico em oligossacarídeos, sacarose, frutose e glicose, fazendo em seguida a purificação, na qual os subprodutos são separados e os oligossacarídeos são encaminhados para o setor industrial, quando vários produtos com FOS poderão ser processados – como chicletes, balas, sorvetes e pães.

Segundo a pesquisadora, alguns estudos estimam que o ideal será um consumo máximo de 6 a 10 gramas do FOS por dia. "Mas essa quantia varia muito, depende da maneira que o organismo da pessoa responde ao produto", diz.

Com informações da Veja. 
Por:
Thaís Jorge
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário