Chuvas prejudicam colheita de cana na primeira quinzena de junho, aponta Unica

Publicado em 26/06/2013 14:03 360 exibições

A moagem de cana-de-açúcar pelas unidades produtoras da região Centro-Sul do Brasil atingiu 35,140 milhões de toneladas na primeira metade de junho, praticamente o mesmo volume verificado na quinzena anterior (35,136 milhões de toneladas de cana-de-açúcar).

De acordo com o Diretor Técnico da UNICA, Antonio de Padua Rodrigues, “como observado na quinzena passada, a colheita também foi prejudicada nos primeiros quinze dias de junho pelas chuvas que ocorreram nas principais regiões produtoras do País”.

No acumulado desde o início da atual safra até 16 de junho, o volume processado de cana-de-açúcar somou 151,64 milhões de toneladas - 56,86% superior ao apurado no mesmo período de 2012, porém 12,82% abaixo da quantidade moída na safra 2010/2011, quando se registrou moagem total recorde de 556,95 milhões de toneladas na região Centro-Sul.

Produção de açúcar e de etanol

Na primeira quinzena de junho, a produção de açúcar alcançou 1,78 milhão de toneladas. O volume produzido de etanol, por sua vez, atingiu 1,48 bilhão de litros no período, dos quais 851,52 milhões de litros de etanol hidratado e 633,31 milhões de litros de etanol anidro.

No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até a primeira metade de junho, a fabricação de açúcar totalizou 7,39 milhões de toneladas. Já o volume produzido de etanol nesse período alcançou 6,32 bilhões de litros, sendo 3,93 bilhões de litros de etanol hidratado e 2,38 bilhões de litros de etanol anidro.

Para o diretor da UNICA, “os números de produção registrados até o momento confirmam a tendência de um mix mais alcooleiro para a atual safra”. Enquanto a moagem acumulada desde o início da safra 2013/2014 até 16 de junho apresentou um incremento de 56,86% em comparação com o volume registrado em idêntico período de 2012, a produção de etanol cresceu 74,87%, acrescentou o executivo.

De fato, no acumulado desde o início da presente safra até a primeira metade de junho, 58,11% da cana-de-açúcar processada direcionou-se à produção do biocombustível, contra apenas 54,38% verificados em igual período do último ano. Na primeira quinzena de junho, esta proporção atingiu 57,58%, significativamente maior aos 54,29% apurados na mesma data de 2012.

Qualidade da matéria-prima

A quantidade de Açúcares Totais Recuperáveis (ATR) por tonelada de cana-de-açúcar processada atingiu 125,30 kg por tonelada nos primeiros 15 dias de junho, queda de 5,16% em relação ao índice registrado na última quinzena.

No acumulado desde o início da safra 2013/2014 até 16 de junho, o teor de ATR totalizou 122,10 kg por tonelada de matéria-prima, crescimento de 4,82% comparativamente a igual período do ano anterior.

Vendas de etanol pelas unidades produtoras

As vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul acumuladas entre 1º abril até 16 de junho somaram 4,76 bilhões de litros, alta de 23,18% em relação ao montante observado no mesmo período de 2012.

Deste volume total vendido, 520,80 milhões de litros destinaram-se ao mercado externo e 4,24 bilhões de litros ao abastecimento doméstico, sendo 1,69 bilhão de litros de etanol anidro e 2,55 bilhões de litros de etanol hidratado.

Nos primeiros 15 dias de junho, as vendas totais de etanol somaram 1,04 bilhão de litros, aumento de 28,18% em relação à mesma quinzena do ano passado. Este crescimento decorre tanto da expansão do volume comercializado no mercado interno quanto das exportações. As vendas ao mercado doméstico atingiram 850,25 milhões de litros, ante 721,44 milhões de litros apurados no mesmo período da safra 2012/2013. No mercado externo foram comercializados 194,29 milhões de litros, contra 93,44 milhões de litros observados em igual período de 2012.

As vendas internas de etanol hidratado carburante alcançaram nos primeiros 15 dias de junho 450,65 milhões de litros, crescimento de 9,34% em relação à mesma quinzena do ano anterior. Já o volume de etanol anidro carburante comercializado no mercado interno totalizou 355,68 milhões de litros, contra 266,60 milhões de litros na mesma data de 2012.

Para o diretor da UNICA, “os atuais preços do etanol na bomba indicam que o biocombustível é economicamente viável em relação à gasolina para a maior parte do mercado consumidor”. A expectativa é que as saídas de etanol das unidades produtoras na segunda quinzena de junho cresçam significativamente como reflexo do aumento das vendas do produto já verificado nos elos de distribuição e revenda, acrescenta o executivo.

Fonte:
AI UNICA

0 comentário