Faeg vê estimativa da Conab como superestimada para safra 2014/15 de cana

Publicado em 22/04/2014 08:16 468 exibições

Diferentemente do que trouxe um levantamento nacional, Goiás vai produzir menos cana-de-açúcar na próxima safra. É o que afirma o assessor técnico para a área de cana-de-açúcar e bioenergia da Federação de Agricultura e Pecuária de Goiás (Faeg), Alexandro Alves, diante do 4º levantamento da produção brasileira da variedade, divulgado pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) neste mês de abril.

Os problemas climáticos que afetaram as plantações no fim de 2013 e início de 2014, a diminuição na taxa de renovação dos canaviais, os problemas relacionados à mecanização e a falta de investimentos no setor são alguns responsáveis pela redução da qual Alexandro fala. Alinhado a isso está a crise do setor sucroalcooleiro que afetou em cheio várias unidades industriais no Estado. “A situação financeira é complicada, recuperações judiciais vão se avolumar nos próximos dois anos, assim como problemas de inadimplência com produtores e arrendantes”, esclarece Alexandro.

De acordo com o levantamento da Conab, a previsão de produção na safra nacional de 2014/15 é de 671,7 milhões de toneladas, o que indica um acréscimo de 2% em relação à safra atual. A Faeg acredita que esse número não passará de 627 milhões de toneladas.

Goiás

Em Goiás foram moídas 62 milhões de toneladas na safra 2013/14. Já na safra 2014/15 o número deve cair para 60 milhões ou, na melhor das hipóteses, ter uma produção igual a safra anterior.

Segundo a Conab, a produção de açúcar no Estado vai aumentar 19%. Já a Faeg acredita que ela ficará estável tendendo para baixo, já que haverá uma mix mais centrado na produção de etanol anidro.

Quanto à produção de etanol, os números também não batem. Enquanto a Conab afirma que haverá um aumento de 52% na produção do anidro, a Faeg rebate dizendo que o aumento será de apenas 28%. Já em relação à produção do etanol hidratado, a Conab acredita que o aumento será de 1,6% e a Faeg aposta em um recuo de 10%. “O levantamento realizado pela Conab é feito num intervalo de tempo de quatro meses. O setor é muito dinâmico e novas coisas acontecem a todo momento. Acredito que nos próximos levantamentos os resultados mais reais da safra vão aparecer” diz Alexandro Alves.

Safra 2013/14

Os dados mostram que na safra 2013/14 de cana-de-açúcar, foram moídas 658,8 milhões de toneladas de cana, sendo 360,9 milhões para etanol e 297,9 milhões para produção de açúcar. Em relação a esta estimativa, Alexandro afirma que os números condizem com o que foi levantando pela Faeg e notado por quem vive o dia a dia dos produtores.

O número da Conab representa um acréscimo de 11,9%, quando comparado às 588,9 milhões de toneladas da safra 2012/13. Com relação ao etanol total, a produção foi de 28,3 bilhões de litros, com 11,8 bilhões para o etanol anidro e 16,5 bilhões para o hidratado. A produção total de etanol para esta safra representa um aumento de 19,7% em relação à de 2012/13, que foi de 23,6 bilhões de litros. Ainda em comparação com a safra anterior, o etanol anidro teve um aumento de 20,2% e o hidratado, de 19,4%.

A produção de açúcar da safra 2013/14 fechou em 37,9 milhões de toneladas. Houve uma redução de 1,2% em relação à da safra passada que foi de 38,3 milhões de toneladas.

A pesquisa foi realizada em março, quando foram visitadas todas as 319 unidades de produção sucroalcooleira em atividade, situadas em todos os estados produtores. A Conab faz a pesquisa junto às usinas de quatro em quatro meses.

Fonte:
Faeg

0 comentário