Unica nega ter pedido menor tarifa de importação de etanol por causa de preços altos

Publicado em 22/01/2010 17:06 1070 exibições
Entidade procurou esclarecer que solicitação está relacionada a uma demanda antiga dos produtores

A União das Indústrias de Cana-de-Açúcar (Unica) negou que o pedido feito à Câmara de Comércio Exterior (Camex) de redução ou eliminação da tarifa de importação de etanol tenha a ver com os preços adotados atualmente no mercado interno.

No fim do ano passado, a Unica sugeriu que a tarifa de 20% cobrada sobre o etanol importado no Brasil seja suspensa, como forma de estimular a receptividade de outros países à compra do produto brasileiro. A cobrança da tarifa tem sido usada como justificativa – principalmente dos Estados Unidos – para também manter suas medidas protecionistas.

Diante da alta de preços do etanol – em Brasília, por exemplo, o litro do álcool combustível já é vendido a R$ 2,20 – a Unica procurou esclarecer que o pedido está relacionado a uma demanda antiga dos produtores e não à possível falta do produto no mercado.

— A Unica entende que o livre comércio deve ocorrer em todos os sentidos. Por isso, o Brasil, como maior produtor de etanol de cana e maior exportador de etanol do mundo, com 60% do mercado global, deve dar o exemplo e eliminar barreiras, o que o credencia para pleitear medidas similares por parte de países que hoje mantêm mercados protegidos — diz a entidade, em nota à imprensa.

A expectativa é que a medida seja aprovada em fevereiro, o que influenciaria as importações a partir de abril. Nesse caso, o Brasil já estaria colhendo a safra 2010/2011 de cana-de-açúcar, e o problema com os preços atuais, superado. No ano passado, os principais países dos quais o Brasil importou etanol foram a Argentina, a Alemanha e a Jamaica. Ao todo, foram comprados 4.464 litros do combustível.

Fonte:
Ag. Brasil

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

2 comentários

  • Carlos Alberto Pereira Patrocinio - MG

    È de se rir , a UNICA querendo dar de bonzinha, falando em baixar tarifas de importaçao do etanol,pra passar a valer apos abril quando já passou a entresafra brasileira,e ai estariam prontos pra exportar com tarifas baixas e nos consumidores pagando mais pelo etanol brasileiro, outra coisa de se rir é o numero de litros importados no ano passado. O cidadao brasileiro tem que se livrar é do etanol.

    0
  • Climaco Cézar de Souza Taguatinga - DF

    AH, AH, AH -É DE RIR - Além destas noticias, li outra do Presidente Lula cobrando seriedade das usinas e dos produtores e, sobretudo, mais e melhores ações do Ministro da Agricultura. So pode ser brincadeira. Porque nada se cobra da UNICA - que so pensa nos usineiros de SP - e da Tereza Campelo do Gabinete Civil e do poderoso MINC e que impediram o avanço da área de cana no Brasil e liquidaram o cultivo no PE, AL e outros estados atraves do zoneamento agroecologico da cana, assinado, recentemente, com toda pompa pelo Lula. VOCES NÃO QUEREM QUE EU VOLTE, MAS ACHO QUE NÃO ENTENDI NADA E NOTEM QUE O PROBLEMA DE ETANOL NO BRASIL E SUA FUTURA OFERTA MUNDIAL ESTA APENAS COMEÇANDO. E OLHA, A MAIOR PARTE DA IMPRENSA, DAS INSTITUIÇÕES E DOS CONSULTORES AINDA APOIARAM, E APOIAM, ESPERTAMENTE, TAL NEFASTO ZONEAMENTO. PENSO TAMBÉM QUE OS POLITICOS DO NORDESTE, CENTRO-OESTE - exceto do MT - E ATE DO CENTRO-SUL (SP, PR, MG) AINDA NAO ACORDARAM para tal gravidade e os prejuizos do zoneamento.

    0