INTERNACIONAL: Produção de açúcar na Índia pode aumentar

Publicado em 17/02/2010 08:46 1154 exibições
Com a cana de açúcar rendendo mais, déficit global de açúcar pode ser amenizado.
A produção de açúcar em Uttar Pradesh, maior região produtora da Índia, pode ganhar este ano por conta de rendimentos mais altos da cana de açúcar, ajudando a amenizar o déficit global que tem direcionado os preços a quase três décadas de alta, segundo informações de um grupo produtor. 

A produção pode ser de 4,2 milhões de toneladas na safra do ano iniciado em 1º de outubro, esse número é maior do que no ano passado, quando a produção foi de 4,05 milhões de toneladas, disse Shyam Lal Gupta, Secretário Geral da Uttar Pradesh Mills Association. A produção pode crescer pelo menos 20% na temporada 2010-2011, assim como o aumento de 30% das plantações.  

A Índia está comprando açúcar pelo segundo ano por conta de um déficit de 7 milhões de toneladas previsto pela Kingsman SA depois de uma seca, no ano passado, ter forçado os produtores a plantarem menos cana. A demanda mundial irá superar os estoques de 14,8 milhões de toneladas nesta temporada.

 “Os moinhos em Uttar Pradesh irão, certamente, compensar a falta de açúcar, os rendimentos da cana estão mais altos e a recuperação está melhorando”, disse Gupta. “A produção vai aumentar substancialmente melhorando o próximo ano, e o produtores estão plantando em mais áreas para a safra”. 

A produção foi de 3,45 milhões de toneladas no período de 1º de outubro a 15 de fevereiro, isso representa uma queda de 1,7% em relação ao ano anterior, depois de uma disputa pelo preço da cana ter atrasado o começo da temporada, explicou Gupta. 

A produção da Índia neste ano até setembro será de 14,8 milhões de toneladas. Isso se compara à previsão feita pela Indian Sugar Mills Association de 15,5 a 16 milhões de toneladas. O país produziu 14,7 milhões de toneladas no ano passado. 

Tradução: Carla Mendes

Fonte:
Bloomberg

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário