Paraná inicia safra com mix mais açucareiro

Publicado em 13/04/2010 08:08 1002 exibições

Pela primeira vez, usinas de processamento de cana do estado vão priorizar a produção do alimento, que deve crescer 38%. Produção de etanol também aumenta, mas em menor proporção

A disparada dos preços do açúcar no mercado internacional no início do ano vai mudar o perfil da safra paranaense de cana-de-açúcar, que será mais açucareira do que alcooleira nesta temporada. Pela primeira vez, o mix de produção das usinas do estado vai pender em favor do alimento. Das 50,8 milhões de toneladas disponíveis para moagem no Paraná no ciclo 2010/11, 55% devem ser destinados à produção de açúcar. A produção de etanol, anidro e hidratado, deve absorver 45% da matéria-prima. A projeção é da Associação dos Produtores de Bioenergia do Paraná (Alcopar).

O mix de produção da safra paranaense 2010/11, que começou neste mês no Centro-Sul do país, será inverso ao da temporada anterior. No ciclo 2009/10, encerrado em dezembro, esperava-se que as usinas do estado destinassem metade da safra de cana para cada um dos subprodutos. Mas o excesso de chuvas durante a colheita obrigou a indústria a mudar os planos e o mix final da safra ficou em 44% para o açúcar e 56% para o etanol.

José Adriano da Silva Dias, superintendente da Alcopar, explica que as lavouras para produção de açúcar são mais suscetíveis à umidade na colheita que às destinadas ao álcool. O ideal é que a cana seja processada no máximo dois dias após o corte e a queima. Depois desse prazo, a qualidade do açúcar na planta fica comprometida e a fermentação torna-se mais difícil. Quando há excesso de chuva durante a colheita, como na temporada passada, a cana colhida fica parada na esteira e, dependendo do tempo, a espera pode inviabilizar a produção de açúcar, obrigando a usina a redirecionar a cana para a produção de etanol.

Neste ano, sem El Niño, o clima deve ser mais favorável à cana e as usinas paranaenses devem voltar a investir na produção de açúcar, prevê Silva Dias. A estimativa da Alcopar é que sejam produzidas no estado 3,3 milhões de toneladas do alimento, 38% mais que no ciclo anterior (2,4 milhões de toneladas). Além do clima favorável, o incremento é creditado ao aumento do número de usinas equipadas pra produzir açúcar nesta temporada.

Segundo a Alcopar, o Paraná tem 30 unidades de processamento de cana em funcionamento. A maior parte delas tem flexibilidade produtiva, ou seja pode optar pela produção de açúcar ou de álcool. Dias relata que três das sete unidades que até a safra passada operavam apenas como destilarias vão começar a produzir açúcar neste ano. Além da incorporação de novas unidades, o crescimento da produção de açúcar é sustentado também pelo aumento da moagem de cana, estimado pela associação em 11%. No ano passado, a indústria sucroalcooleira paranaense processou 45,6 milhões de toneladas, 10% menos que o previsto. O excesso de chuva durante a colheita paralisou os trabalhos durante boa parte da safra e deixou 5,2 milhões de toneladas de cana em pé no Paraná.

A produção de etanol também deve aumentar, ainda que em menor proporção que o açúcar. Considerando o álcool anidro, aquele é adicionado à gasolina, e o hidratado, que é vendido nas bombas dos postos de gasolina, a produção paranaense deve chegar à casa dos 2 bilhões de litros em 2010/11, 5% mais que o total de 1,9 bilhão do ano passado.

Fonte:
Gazeta do Povo

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário