Secretaria de Produção e Agroenergia do Mapa descarta estoque para açúcar

Publicado em 30/04/2010 07:11 222 exibições
O secretário de Produção e Agroenergia, Manoel Bertone, do Ministério da Agricultura, afirmou que, apesar de ser possível ter estoques públicos de açúcar, essa política está descartada neste momento: "Esse momento não é adequado", alegou.

O argumento é que os atuais preços do produto tornam inviável a compra por parte do governo. Ano passado, a redução na produção de açúcar na Índia, maior produtor mundial, elevou os preços da commodity no mercado internacional, variação que também chegou ao mercado interno.

"Os preços subiram e não dispúnhamos de grandes instrumentos para resolver essa situação. Cana também é etanol", disse, referindo à dificuldade para atender todas as demandas do setor sucroalcooleiro.

Ele admitiu que a alta de preços no mercado interno não foi ainda maior porque muitas empresas tinham estoques. O secretário ressaltou que o governo está atento ao problema: "Sei que a alta de preços tem um impacto muito forte para o custo de vida", admitiu.

Para ele, a produção prevista para 2010 garantirá o equilíbrio de mercado. De acordo com a primeira estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) para a safra 2010/11 de cana-de-açúcar, as usinas produzirão 38,7 milhões de toneladas de açúcar neste ano, em comparação com 33 milhões de toneladas no ano passado.

Segundo a Conab, as usinas moerão 664,33 milhões de toneladas de cana em 2010, volume recorde. Se confirmado, o crescimento será de 9,9% em relação à safra 2009/10.

A produtividade média dos canaviais cresceu 0,6% sobre a temporada anterior, e agora é de 82,1 toneladas por hectare.

Ao detalhar os números, Bertone lembrou que o início da safra deste ano na Região Centro-Sul está bastante chuvoso: "Ano passado, houve problemas no volume colhido e queda no teor de sacarose."

O superintendente de Informação do Agronegócio da Conab, Airton Camargo, observou que os canaviais do Nordeste ainda estão em desenvolvimento.

Na região, o corte começa a partir de setembro. Bertone também comentou sobre o teor de sacarose da cana, previsto para 134 quilos por tonelada em 2010.

Esse rendimento, disse, ainda é inferior ao potencial de 138 quilos por tonelada. Para o secretário, é possível que a produção de etanol e açúcar fique acima do previsto hoje pela Conab: "As condições climáticas influenciam o teor de sacarose", completou.

Fonte:
Monitor Mercantil

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário