Cana de Açúcar: Produtores do Nordeste receberão subsídio para safra 2009/10

Publicado em 16/06/2010 08:29 1497 exibições
Os produtores de cana-de-açúcar do Nordeste vão receber do governo federal um subsídio de R$ 5 por tonelada de cana produzida na safra 2009/2010. O benefício foi sancionado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva na última sexta-feira, depois de uma longa negociação, que se arrastava desde o ano passado.

Com o custo de produção de R$ 66,54 por tonelada e preço médio de venda de R$ 58,03, os fornecedores reclamavam prejuízos, principalmente por causa do período de seca que enfrentam em alguns estados neste ano e que deve prejudicar a safra na região.

Para ter acesso ao recurso, os produtores devem recolher as notas fiscais e protocolar o pedido nas entidades de classe, que encaminhará a documentação à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) e depois ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Segundo a União Nordestina de Produtores de Cana, após os trâmites burocráticos, os recursos são depositados diretamente na conta dos produtores. No ano passado, o subsídio para os fornecedores de cana foi concedido para valores até R$ 5 por tonelada, com um total de R$ 54 milhões subsidiados para um total de 25.500 produtores da região Nordeste. Este ano, o valor foi fixado em R$ 5.

"A nossa maior reivindicação é incluir a cana-de-açúcar na Política de Garantia de Preços Mínimos (PGPM), que é aplicada para 39 culturas, entre elas a soja, o algodão e o café. Não tivemos esta solicitação atendida, mas o subsídio dado pelo governo já ajuda os produtores da região", explica Alexandre Andrade, presidente da Unida e da Associação dos Fornecedores de Cana de Pernambuco (AFCP).

De acordo com Andrade, a medida não deve ter impacto nos preços do etanol no país, mas refletirá na economia nordestina e de Pernambuco, especificamente. "A produção do Nordeste representa 13% do total nacional. Pernambuco já foi líder, mas hoje tem apenas 3% desta fatia. Entretanto, na economia do estado, o setor sucroalcooleiro responde por 15% do PIB e 40% da pauta de exportações", complementa.

A produção da próxima safra deve ser um pouco menor em relação à passada, alcançando a marca de 60 milhões de toneladas. No Nordeste, segundo Alexandre Andrade, a cultura tem espaço de crescimento nos estados no Maranhão e no Piauí. Em Pernambuco, a expectativa é de manutenção. "O Nordeste tem crescido com taxas mais altas que o Brasil e atualmente estamos importanto álcool combustível do Sudeste. A cana-de-açúcar é ainda uma cultura muito importante para a região", finalizou Andrade.

Fonte:
Diario de Pernambuco

RECEBA NOSSAS NOTÍCIAS DE DESTAQUE NO SEU E-MAIL CADASTRE-SE NA NOSSA NEWSLETTER

0 comentário