Mapa pede R$ 1,9 bi do orçamento para comprar milho

Publicado em 09/08/2016 14:39
1313 exibições
Governo se prepara para a queda nos preços

Veja a nota do Mapa no último dia 3 de agosto

Com garantia de oferta, tendência é de queda nos preços do milho no mercado interno

Quem optar por manter os estoques de milho projetando ganhos no mercado poderá ver sua estratégia frustrada. A avaliação é da área técnica do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), que calcula um estoque de passagem do cereal de 4,47 milhões de toneladas em 31 de janeiro de 2017. Como há produto para ofertar, a tendência é que os preços venham a cair.

De acordo com o quadro de oferta e demanda da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), a produção da temporada 2015/2016 é de 69,14 milhões de toneladas. As exportações devem chegar a 22 milhões de toneladas, o consumo interno a 54,67 milhões de toneladas e as importações, 1,5 milhão de toneladas. Ou seja, um estoque de passagem de 4,47 milhões de toneladas.

As perspectivas para o segundo semestre deste ano reforçam a avaliação dos técnicos do Mapa. Eles apontam seis fatores que deverão resultar no recuo das cotações de milho no mercado interno:

1. As importações brasileiras, sobretudo do Mercosul, deverão aumentar, principalmente para a regiões Sul e Nordeste. De janeiro a junho deste ano, foram importadas 542,5 mil toneladas, contra 173,3 mil toneladas em igual período do ano passado.

2. A redução de oferta na primeira safra e a expectativa de queda na segunda exerceu uma pressão de alta na formação dos preços, provocando uma retenção de venda pelos produtores.

3. Além disso, o crescimento 180% nas exportações de janeiro a abril de 2016 (12,24 milhões de toneladas), em relação ao mesmo período do ano passado (4,3 milhões de toneladas), reforçou a pressão já existente.

4. O comportamento atual de preços, superiores à paridade de exportação, induz operações de recompras de contratos de vendas externas pelas tradings para direcionar ao mercado interno, aumentando a oferta.

5. Ao mesmo tempo, as exportações de milho nos meses de maio, junho e julho têm sido muito inferiores aos volumes do mesmo período do ano passado. Até agora, foram exportadas apenas 250 mil toneladas de milho, sendo que em julho de 2015 foram embarcadas 1,28 milhão de toneladas.

6. A paridade de importação de milho da Argentina e Paraguai tem sido viabilizada para as regiões Sul e Nordeste. Hoje, o milho argentino chega aos portos brasileiros em torno de R$ 44 no Sul e R$ 52 na Região Nordeste (a saca de 60 quilos).

Tags:
Fonte: Notícias Agrícolas + Mapa

7 comentários

  • Renato Luiz Hannisch Santa Maria - RS

    Bem, não assisti ao vídeo na íntegra. Li apenas o texto que segue abaixo do mesmo.... A pergunta que me veio é: qual o caminho realizado por este milho argentino ou paraguaio?

    De acordo com o comentário de J.B.: "A paridade de importação de milho da Argentina e Paraguai tem sido viabilizada para as regiões Sul e Nordeste. Hoje, o milho argentino chega aos portos brasileiros em torno de R$ 44 no Sul e R$ 52 na Região Nordeste (a saca de 60 quilos)."

    Se o milho chega aos portos do Sul por via terrestre, atravessando o continente, acredito que possa chegar aos interiores, onde é consumido, por um preço até menor que R$ 44,00, visto não precisar sacolejar até os portos da região.

    Mas, se ele chega aos portos brasileiros por via marítima, a partir do Mar del Plata, ainda terá que ser transportado para os interiores, aumentando seu valor, o que, acredito, fará a saca de 60 quilos chegar ao consumidor por uns R$ 50,00 (na região Sul e Sudeste).

    Acredito que no Nordeste não vá por via terrestre, pois isto seria mais uma prova da "deslogística" brasileira. Assim, essa saca que chega por R$ 52,00 nos portos do Pernambuco, Ceará ou São Luis, por quanto chegará ao consumidor, que está no interior destes Estados?

    Bem, isso sem considerar os cálculos furados já apontados, e todo o "achometro" climático que só Deus sabe onde vai dar...

    Abraços calorosos do tórrido Tocantins.

    2
  • Fernando Romagnoli Rosseto Primavera do Leste - MT

    Antes de tudo, pára aí, João!!!! vamos regular as calculadoras primeiro, pois na minha conta vai faltar 6,03 milhoes de toneladas!!!! os numeros sao de voces, como esta na materia acima... Vamos as perguntas:
    1- Quantos anos demoraram para liberar para nos produtores brasileiros a primeira tecnologia trangenica?

    2- qual o tamanho da burocracia brasileira, eles vao tem que aprovar esse milho americano para entra no brasil?

    3- quantos dias demora para contratar, carregar, chegar e distribuir esse milho no mercado brasileiro?

    acho eu que nao é simples assim as coisas!,
    a safra de milho brasileira essa temporada foi uma lastima!! é so dar uma volta por ai......

    0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      Fernando, creio que do embarque nos EUA ate o desembarque em um porto Brasileiro va levar algo em torno de 60 dias a 70 dias .

      2
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    João Batista, sobre o presidente da Cooxupé basta ver as declarações dele sobre a produção, desde o ano passado, em que afirma que tem café, que a safra foi e é normal, que vai haver café de qualidade e muitas outras coisas do tipo.... Parafraseando você mesmo,... vamos parar com isso, cooperativa não é para especular com preço do Vietnã, cooperativa é para pegar o café do produtor e vender bem..., se não consegue, saia fora.

    1
  • Rodrigo Polo Pires Balneário Camboriú - SC

    Enquanto puderem usar cargos politicos de autoridade para beneficio próprio, que é o que Blairo e Neri Gueller estão fazendo, a farra dos especuladores continuará... Lembra Sr. Meloni daquele comentário desaforado em que me disse alguma coisa parecida com... "depois do milagre feito"... Pois é, não fez PUT quem não quis, a alta nos premios revela que, depois do anuncio dos "estrategistas", o mercado reagiu e começou a comprar PUT, isso é mais que evidente... Os produtores não querem admitir, mas os especuladores ganham em cima dos erros dos politicos, ministros, e todos aqueles que querem "conduzir" o mercado. Venho dizendo desde sempre que a única coisa que o Blairo Maggi sabe fazer é pedir dinheiro ao governo (e mais claramente que isso é impossível), contra vocês produtores rurais e a favor dele mesmo que irá receber no minimo 16 reais pelo milho produzido em Campo Novo do Parecis ou ainda mais longe... e é isso, mais o frete, é o que vocês receberão pelo milho em todo o Brasil. Os premios com PUT e CALL mudam com o tempo, e pode-se operar somente com margem, sem pagar nada, que é o que todos vão fazer agora até o milho chegar nos trinta e poucos como querem os burocratas do governo. Graças ao Neri Gueller e ao Blairo Maggi.

    0
  • wellington almeida rodrigues Sucupira - TO

    Tem algo errado nessa conta, que não fecha, produção de 69,14 milhões de ton - 22 milhões de ton: sobrou 47,14 milhões de ton + 1,5 milhão de ton: 48,64 milhões de ton...
    Então chego a seguinte conclusão: 54,67 milhões de ton - 48,64 milhões de ton: 6,03 milhões de ton, vai faltar 6,03 milhões de toneladas de milho, só se o texto estiver errado..., estão querendo confundir nossa cabeça com conversa e números errados, isso é matemática não tem como errar, sim como maquiar os preços para poder baixar, para recompor as indústrias e as granjas, não mais que um mero acordo entre cavaleiros, governo e empresas compradoras do setor, não adianta, mesmo que consigam importar milho igual querem, no pedido do MAPA de 1,9 bilhão de reais para comprar milho, isso só compra 2,6 milhões de ton da apenas para 20 dias no Brasil, o consumo e de 5 milhões de ton mês, já vai faltar 6,03 milhões de ton e ficar de novembro até fevereiro, até a safra de verão sem milho, como vai cobrir essa falta com sorgo, Milheto???!!!, enfim estão falando o que não sabem ou inventando assunto que não existe..., vocês aprenderam com o LULA e a Dilma, mentira vira verdade à força, falem a verdade o assunto é sério, não temos tempo para brincadeiras, a coisa é pior do que se tentam relatar nesse momento...!

    0
  • Otávio José da Silva Oliveira Luís Eduardo Magalhães - BA

    João Batista, o armamento é apenas uma questão de escolha e direito (isto não é campanha). Eu quero o direito de ter arma em minha propriedade para a defesa. O senhor prefere não ter, e em nenhuma hipótese tentarei convence-lo de ter arma..., eu apenas quero ter o meu direito de ter arma... Mesmoassim, parabéns pelo seu trabalho! O seu trabalho ajuda em muito o meu... Um abraço!

    0
    • RODRIGO POLO PIRESBALNEÁRIO CAMBORIÚ - SC

      E eu além do direito quero ter não uma, mas várias armas. De preferência 9 mm prá cima.

      0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      João você está errado nesse ponto, e muito. Criminalidade não tem vínculo direto com pobreza, isso é o que o discurso esquerdista vem nos impondo, mas é uma farsa, associar a criminalidade a problemas econômicos. Sempre vai haver gente querendo dinheiro fácil. Criminosos só são desestimulados por medo, no caso do Brasil a certeza de que as vítimas estão desarmadas e incapacitadas de qualquer reação. A polícia também nem na maior utopia tem capacidade de proteger cada indivíduo. Então sim, o direito a legitima defesa do indivíduo tem que ser garantido.

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Caro Rodrigo, acho que esses dois vídeos podem ajudá-lo a defender o calibre .380, que já é autorizado no país, com um detalhe, o percentual de parada no primeiro disparo da munição Glaser Blue é 75%, próximo de um 9 mm que é de 94% com a mesma munição. Segue os vídeos: https://www.youtube.com/watch?v=Y3lwKz0_3eo ... https://www.youtube.com/watch?v=Gmy7Vp7aNHw

      0
    • PAULO ROBERTO RENSIBANDEIRANTES - PR

      Ah! Segue a tabela que pode ser útil http://www.defesa.org/tabela-de-poder-de-parada-de-armas-curtas/

      0
    • WELLINGTON ALMEIDA RODRIGUESSUCUPIRA - TO

      Também concordo com o Guilherme, João, os bandidos já estavam camuflados, à partir do momento que os políticos calças froxa que também são bandidos como nos todos sabemos disso, desarmou os homens de bem, vamos para cima deu a bandeira branca para o ladrão invadir as propriedades e casas de todo esse Brasil, sabendo que ninguém tem arma, nem se quer um estilingue, para jogar uma pedra na cabeça de um safado desse, só à favor da volta das armas nas propriedades rurais de nosso Brasil, eu mesmo tinha duas 380 na fazenda e nunca ninguém fez graça em nossas propriedades, bandido bom é bandido morto, simples assim, você trabalha a vida toda para conquistar suas coisas e o malandro vem leva sem esforço, já fui refém desse sistema, falei muito comprei uma F 1000 ano 91 a tempos atrás, arrumei ela todinha, fiz um financiamento de três anos, quando acabei de pagar ela com motor zero, quatro pneus zeros, tanque cheio, não dava para fazer o seguro dela, naquela época caro demais pelo ano dela, roubou em 2003, o malandro veio levou facinho até hoje nada, tem que ser igual a China, roubou uma vez corta se um dedo, segunda vez corta a mão e a terceira vez corta o pescoço, vocês não lembra na indonésia aquele brasileiro que foi executado por causa de tráfico de drogas, lembra também de Detroit nos EUA, era o estado com o maior índice de criminalidade, um dos mais violentos do mundo, entrou um governador macho de coragem, e deu tolerância zero, acabou se o crime naquele estado, tem como consertar, basta querer, agora aqui no Brasil todo mundo recebe do crime, tá no caderninho, bandido não vira bandido, nasce bandido, tá no sangue, se liberar definitivamente o porte de armas compro duas, tem que ter infelizmente, abraço a todos...!

      0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      Esta restrição a calibres veio com o o R105, o arroubo totalitário do ditador getulio vargas. O R105 foi a versão Brasileiro do desarmamento implantado por Hitler na Aleamanha nazista para proteger o projeto de poder do mesmo.

      0
    • GUILHERME FREDERICO LAMBASSIS - SP

      Vale a pena ler o artigo: O Tiro Esportivo e o entulho autoritário de Vargas http://www.cadaminuto.com.br/noticia/288068/2016/06/07/o-tiro-esportivo-e-o-entulho-autoritario-de-vargas

      0
  • Márcio Cordeiro Santana do Livramento - RS

    Ou a conta está errada ou o texto. Produção 69,14 - 22 exportação - 54,67 consumo + 1,5 importação não resultado num saldo de 4,47.

    0
    • JOÃO ARTUR LACERDAFRUTAL - MG

      Tem o estoque inicial.

      0