Depois de pagar R$ 205,00/@ em SP, frigoríficos alongam escalas e reduzem ritmo de compras à espera de reação no consumo

Publicado em 13/02/2020 15:57 e atualizado em 13/02/2020 18:01
3768 exibições
Diante de uma oferta aparentemente curta de animais, pecuaristas só participam quando são incentivados por alguma alta nos preços
Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos

Podcast

Entrevista com Caio Junqueira - Analista de Mercado da Cross Investimentos sobre o Mercado do Boi

Download

LOGO nalogo

Com o boi tendo o patamar de R$ 200 / 205 se tornando uma referência para os preços, as indústrias têm adotado uma estratégia de reposição de animais conforme a necessidade. Na virada do mês de janeiro para fevereiro, por exemplo, os preços negociados ultrapassaram a faixa dos R$ 200 e chegararam a até R$ 210.

Com a reposição de estoque e a demanda interna reduzida, os frigorificos diminuíram a agressividade e recuaram, deixando os preços retornarem na faixa dos R$ 200. Com China parada as negociações também esfriaram, já que o país continua com o ritmo de compras lento por causa do surto do coronavírus. 

No entanto, o comportamento da demanda neste final de semana e ao longo da próxima irão definir os próximos passos que serão dados pela indústria.

Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário