Estiagem no norte do Paraná prejudicou milho de segunda safra. Em alguns locais, perdas na produtividades podem passar de 20%

Publicado em 25/04/2019 14:07 e atualizado em 25/04/2019 16:48
923 exibições
De acordo com o Cropview , região norte do PR terá segunda redução de produtividade em duas safras seguidas
Cristina Queiroz - Rural Tecnologia

Podcast

Entrevista com Cristina Queiroz - Rural Tecnologia sobre o CropView

Download

LOGO nalogo

Nas regiões norte do estado do Paraná, as condições climáticas comprometeram o desenvolvimento da segunda safra de milho. Diante desse cenário, as perdas de produtividade podem passar de 20% em determinadas localidades.

Segundo a Diretora da Rural Tecnologia, Cristina Queiroz, os produtores rurais do norte do Paraná estão preocupados com o desenvolvimento da safrinha de milho. “Pelo segundo ano consecutivo o cereal está sofrendo com a ausência de precipitações, tendo em vista que algumas regiões estão sendo muito penalizadas dependendo da data de plantio”, comenta.

Com base nas análises do Oráculo Meteorologia, é possível ver que as chuvas estão concentradas no norte do país e tem previsões de precipitações nos três estados do sul entre os dias 24 a 29 de abril. “A chuva vai voltar para o estado do Paraná, mas não será muito volumosa e o norte do estado é que menos vai receber chuvas”, ressalta.

Já as analises dos dias 29 de abril a 05 de maio apontam que as chances de precipitações no sul do país vão ser mínimas e ficam concentrados do centro-oeste e no norte. “O estado da Bahia não vai receber chuvas e ao que tudo indica os produtores rurais vão ter uma tranqüilidade para finalizar a colheita do algodão”, destaca.

Já as previsões do dia 05 a 09 de maio mostram que não terá chuvas concentradas na região nordeste do país. “As precipitações pulverizam bastante pelo o Brasil, sendo que os estados que vão receber chuvas mais volumosas são Santa Catarina e o Rio Grande do Sul”, relata.

Para Londrina (PR), considerando um plantio de milho no dia 20 de janeiro, com ciclo de 130 dias, o mês de março a cultivar sofreu com a ausência de chuvas. Assim, a estimativa é de uma produtividade de 84% até o final do ciclo.

Já no município de Campo Mourão (PR), considerando um plantio  de milho em 21 de janeiro e um ciclo de 130 dias, a falta de chuva durante o mês de março acabou penalizando a cultura em 20%.

Na região de Doutor Camargo (PR), as perdas de produtividade podem chegar em 26% no milho safrinha, na qual considera um plantio no dia 20 de janeiro. “Quanto mais tardio for à semeadura mais penalizada está à cultura. Essa é uma boa região de plantio em que a produtividade média é de 94%”, comenta.

Por: Aleksander Horta e Andressa Simão
Fonte: Notícias Agrícolas

1 comentário

  • CESAR AUGUSTO SCHMITT Maringá - PR

    Penso que essa metodologia carece de um melhor embasamento. Tenho áreas, inclusive em Dr. Camargo, e o que se vê a nível de campo não está em concordância com o descrito .

    0