DA REDAÇÃO: Cotações do trigo devem sofre pressão no longo prazo em Chicago; no mercado interno, expectativas são positivas

Publicado em 08/03/2012 13:47 e atualizado em 08/03/2012 15:50 403 exibições
Trigo: véspera de mais um relatório do USDA pressiona cotações em Chicago, mas mercado brasileiro é otimista. Moinhos precisam de farinha e preços começam a se recuperar este mês. Mercado ainda espera definição da safra na Europa para definir futuro dos preços internacionais.
Em Chicago, as cotações do trigo dão continuidade ao movimento de realização de lucros inciada nesta última quarta-feira, 07. O mercado segue frouxo no aguardo dos novos números do relatório de Oferta e Demanda do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA).

Embora o pregão desta quinta-feira, 08, seja positivo para a soja e o milho, o trigo acompanha cada vez mais de perto o rumo daqueles mercados em Chicago. "Isso mostra uma derivação dos investidores de volta para o mercado de grãos depois de toda aquela especulação da crise de débito das economias europeias. Além disso, nos países do hemisfério norte o trigo em grão acaba entrando na formulação das rações dependendo das cotações. Qualquer aumento de um acaba influenciando o outro.", diz.

No longo prazo, há uma expectativa de queda para as cotações do trigo na Bolsa de Chicago diante da finalização da colheita no hemisfério norte e o consequente aumento dos estoques, segundo o analista da AF News, Gabriel Ferreira, Enquanto isso, a expectativa é de cenário estável.


Mercado Interno

Já no mercado interno, o cenário aponta para maior firmeza dos preços nos próximos meses. A atual valorização do câmbio favorece o trigo nacional e há espaço para uma subida de preços, na visão do analista. O leilões de PEP do governo e a volta dos moinhos às compras para a recomposição dos estoques devem contrinuir para o enxugamento da oferta no mercado e refletir, portanto, bons patamares para os negócios.

Por:
Mariane De Luca e Marília Pozzer
Fonte:
Notícias Agrícolas

0 comentário