ENTREVISTA: Declaração de embargo não procede e sentença judicial que suspende cobrança de royalties continua valendo, afirma Neri Perin

Publicado em 13/04/2012 13:20 503 exibições
Monsanto: declaração de embargo não procede e sentença judicial que suspende cobrança de royalties continua valendo. Empresa entregou à justiça gaúcha pedido de prorrogação sobre ação, mas análise pelo juiz ainda não foi divulgada.

1 comentário

  • Telmo Heinen Formosa - GO

    É sempre muito bonito falar em tese. "Somos a favor da cobrança na Semente (Certificada) e não na moega..." Esta ladainha é tipica de fim de Império Romano. Na prática a gramática é outra, todos querem "salvar" a sua semente como redigiram na Lei por motivos teosóficos todavia a "salvam" para si e para "muitos" vizinhos. João Batista, você não conhece nossos produtores em seu lado pervertido, eles desejam adquirir 1/2 dúzia de saquinhos de semente da Monsanto, multiplicá-la à vontade, fazer um troca-troca com o vizinho e royalties que é bom a Monsanto receberá sobre 1/2 duzia de saquinhos. Esta semana mesmo a ABRASEM informou que apenas 45% da semente de soja do país é certificada, o resto é pirata e "salvada".... Sem a cobrança de royalties na moega estima-se que a quantidade de semente certificada não ultrapassará os 30 % e portanto a economia em royalties se refletirá com gravames na produtividade. Eita Brasil véio... um País de Tolos. Uma hora é oito e outra hora é oitenta e oito... em vez de progredir gradualmente por 40... 50... 60 e quem sabe um dia 80! Exclua-se grande parte do Centro Oeste, especialmente o Mato Grosso onde as condições naturais de conservação de sementes são desfavoraveis, obrigando os plantadores a adquirir sementes novas a cada safra. É tudo muito simples, quem não quiser a tecnologia, aliás, não quiser pagar por ela, não plante tais cultivares.

    0