MERCADO FORA DAS BOLSAS: Confira a análise sobre os principais produtos fora da bolsa com Aleksander Horta - Jornalista

Publicado em 15/06/2012 13:16 e atualizado em 15/06/2012 18:34 300 exibições
Preços do arroz se recuperam e encerram a semana nos mesmos patamares da anterior. No mês a alta é 1,2%. O frango também reage e finaliza a primeira quinzena de junho registrando 4 altas e preços de R$1,90/kg vivo no interior de SP

ARROZ: Na última quinta-feira (14), o mercado de arroz apresentou uma leve alta se recuperando do recuo dos últimos dias. No Rio Grande do Sul, por exemplo,  os valores médios pagos pela saca de 50 quilos de arroz em casa passaram para R$ 28,57 -  5 centavos acima do valor que vinha sendo praticado no mercado nos últimos dois dias. Com essa alta,  o valor da saca retornou ao valor da semana passada e ainda apresenta uma elevação de 1,2% no período de mês.

FRANGO: A primeira quinzena do mês encerrou e o frango vivo disponibilizado nas duas principais praças do produto no País, interior de São Paulo e Minas Gerais, obteve o segundo reajuste da semana e o quarto do mês. Como é tradição no setor, a alta foi de cinco centavos e, assim, os negócios foram efetivados por R$1,90/kg entre os paulistas e por R$2,00/kg entre os mineiros. Com o reajuste de ontem, o produto comercializado em São Paulo simplesmente retornou ao mesmo valor obtido no primeiro dia de negociações deste ano, 2 de janeiro de 2012. Isso está ocorrendo pela primeira vez neste ano, o que significa dizer que, no ano, o frango vivo paulista registra evolução igual a “zero”. Mas  antes isso do que nada, resta saber se essa alta vai ter sustentação. A oferta está menor, as exportações ganharam mais ritmo, porém, o mercado interno, que é responsável pelo consumo de 2/3 da produção, ainda não mostrou reação significativa.

CENOURA: A colheita de cenoura da safra de inverno de 2012 deve começar no final de junho na maioria das regiões produtoras de Caxias do Sul, Antônio Prado e Vacaria (RS). A temporada de inverno do Rio Grande do Sul tem maior duração em relação às outras acompanhadas pelo Cepea, devido ao clima mais frio no estado. As lavouras dessa região também apresentam maior produtividade e cenouras de melhor qualidade. Para esta safra, ainda não tem informações quanto à produtividade, mas alguns produtores consultados apostam em uma colheita  maior em relação  ao ano passado. Na safra de inverno de 2011, a ocorrência de geadas  prejudicou parte das lavouras gaúchas, e a produtividade média naquele ano foi de 63 t/ha.Quanto ao preço em 2012, de março a maio,  a média da caixa "suja" de 29 kg foi de R$ 11,88, valor 27% menor que o do mesmo período da safra passada, mas 67% superior ao mínimo estimado por produtores para cobrir os gastos para a produção de uma caixa de cenoura, considerando-se produtividade média de 60 t/ha.

 

Fonte:
Noticias Agrícolas

0 comentário