ENTREVISTA: Confira a entrevista com Ivo Carraro - Pres. Executivo - Coodetec

Publicado em 08/02/2013 15:15 781 exibições
Empresas de tecnologia apóiam Monsanto no caso dos royalties e alegam que a cobrança é a principal forma para que novos investimentos e mais pesquisas sejam desenvolvidas para beneficiar a produção brasileira.

3 comentários

  • Elso Vicente Pozzobon Sorriso - MT

    Vendo a entrevista com o Sr. Ivo Carrara, só tenho a lamentar, pois ele está com meias verdades. Não se trata de não reconhecer direitos da Monsanto, mas sim inibir os excessos cometidos pela empresa sobre os produtores. A exemplo de Royalties cobrados sobre produtividade (na moega), quando sabemos que produtividade não é resultante exclusivamente de tecnologia embarcada na semente e sim de diversos fatores, tais como: clima, adubação, manejo, tratos culturais e outros. Além desse formato de cobrança, nos restringe a liberdade de plantio, agindo sobre produtores de sementes, limitando (quem não lembra dos 20% de Msoy-8866)produçAo de sementes convencionais. Agora que já exploraram além do permitido, vem com esse acordo (leiam bém os termos propostos) e querendo passar por bondade da empresa, algo que já ultrapassou os limites do legal. Qual a razão de nos oferecer essa "bondade"agora?, se nunca aceitaram negociar nenhuma virgula de suas formas de cobrança ou vlores exorbitante. Vejam bém meus colegas produtores, o que estão assinando, pois a Intacta vem aí e imposta "guela abaixo" como fizeram com as RR, você que assinou, não lhe restará alternativa senão aceitar tudo e todos os caprichos dessa empresa. Somos pelo pagamento legal dos direitos, porém, não podemos aceitar tornarmo-nos integrados dessa empresa. Alerte-se!!!!

    0
  • Luiz Alfredo Viganó Marmeleiro - PR

    Caros colegas produtores, vocês leram atentamente o "contrato" que a Monsanto pede para assinarmos?? Nunca vi absurdo pior na vida, claúsulas draconianas, bem no estilo arrogante dos americanos com nosotros latinos. Duvido que produtores argentinos e paraguaios aceitem tais condições que ofendem qualqier principio de liberdade, livre-arbítrio e acredito que até os mais básicos direitos constitucionais. Uma verdadeira arapuca.

    0
  • daniel schenkel Campo Verde - MT

    Nos produtores do MT somos a favor da pesquisa para novas tecnologias, somos a favor do pagamento por isso! Mas pagamento dentro da lei, se a patente venceu em 2010, porque seguir cobrando ate 2014? Aqui eh BRASIL, nossa legislacao eh outra! Queremos transparencia nas permissoes e valor justo!

    0