ENTREVISTA: Confira a entrevista com Ágide Meneguette - Pres. Faep

Publicado em 20/02/2013 14:21
591 exibições
Caso Monsanto: CNA rejeita acordos individuais que a Monsanto está apresentando aos produtores de soja, pois os mesmos não obedecem aos termos da Declaração de Princípios firmada entre as partes. Federações alertam agricultores a não assinarem o acordo atual proposto pela empresa.

2 comentários

  • cesar augusto schmitt Maringá - PR

    É o que sempre digo: CADEIA PRÁ MONSANTO.
    pé na bunda deles prá fora do Brasil. Não precisamos dessa tal Intacta. É simplesmente uma porcaria.
    Parabenizo meu amigo Ágide Meneguette, pela sua posição.
    Esse é o velho Àgide do Colégio Marista de Maringá e Presidente do DASCA da Federal do Pr.
    Pau neles Ágide

    0
  • Valdir Edemar Fries Itambé - PR

    Primeiro a FAEP assina "acordo" com a Monsanto, "com os burros na água", tenta renegociar o que assinaram:

    Em nota divulgada pela FEDERAÇÃO DA AGRICULTURA DO PARANÁ – FAEP, os dirigentes tentam se justificar de tamanha confusão, e após se passar mais de 20 dias de assinar o tal “ACORDO” firmado entre a MONSANTO, a CNA e mais 10 Federaçãos Estaduais, inclusive a FAEP, agora conforme matéria (http://www.noticiasagricolas.com.br/noticias/agronegocio/117591-nota-de-esclarecimento-sobre-o-acordo-com-a-monsanto.html), os nossos representantes, dirigentes de nossa maior “organização de produtores rurais” nos dá certeza de tamanha irresponsabilidade. … Irresponsabilidade?? …Sim irresponsabilidade, até porque somente agora a FAEP conseguiu sentir a CONFUSÃO que esta gerando, “confusão” que tenta atribuir a culpa para a MONSANTO, conforme nota : “A Monsanto, contudo, incluiu os termos de licenciamento da nova tecnologia – Intacta RR2 – que ainda não está disponível no mercado, gerando uma grande confusão entre os produtores rurais. A FAEP entende que o acordo individual não deveria conter os termos de licenciamento da RR2.”

    Pois bem, resta para a CNA, a FAEP e tantas outras Federação que assinaram tal “acordo” e recomendaram publicamente em seus sites de noticias tanto em nota como em áudio, buscar a RENEGOCIAÇÃO do tal “ACORDO”, porém embora a decisão final seria do PRODUTOR RURAL, milhares de produtores já assinaram o tal ACORDO induzidos pelo entendimento feito e divulgado pelos seus “representantes”.

    Após LER E ANALISAR o tal “acordo” em questão, alertamos aos produtores em matéria publicada aqui mesmo no NOTICIAS AGRÍCOLAS, em relação a certos itens que deixaria o produtor rural refém da MONSANTO : http://www.noticiasagricolas.com.br/artigos/artigos-geral/116923-royalties-da-monsanto-analise-do-acordo-de-licenciamento-de-tecnologia-e-quitacao-geral.html

    Pois bem, milhares de produtores rurais já assinaram a CARTA EM BRANCO dando total liberdade para a MONSANTO fazer o que bem entender, porém é difícil entender porque somente depois de gerar tanta “confusão” a FAEP pede para aguardar porque esta “NEGOCIANDO COM A MONSANTO” …Negociando o quê? O próprio atestado de BURRICE? …Sim porque para o produtor rural por mais humilde que seja ele, NEGÓCIO ASSINADO É NEGÓCIO ASSINADO E CONCRETIZADO, agora para os DIRIGENTES DA FAEP tudo é possível, inclusive ficar calada mesmo que milhares dos produtores rurais sofram com o “sequestro da produção sem qualquer ordem judicial” a chamada cobrança pós safra, que antes mesmo do TITULO DE SUA DIVIDA DOS ROYALTIES COM A MONSANTO ter vencido, até porque estão datados para vencimento ainda em 28 de fevereiro de 2013, a produção esta sendo retida, ou seja sequestrada. Quem se pronuncia a respeito…Ninguém.

    Amigos produtores rurais do Paraná e também de outros Estados, minha simpels recomendação, é de que devemos pagar por mais esta fatura dos royalties que vence dia 28/02/2013, nos unir e grupos de produtores em cada Estado e entrar com uma ação coletiva buscando justiça, até porque a próprio Poder Judiciário dos Estados do Rio Grande do Sul e também do Mato Grosso já sinalizar que temos razões para isso. Procure seus direitos Legais ANTES DE ASSINAR QUALQUER CARTA EM BRANCO dando todos os poderes para a MONSANTO. OK.

    Para os produtores rurais do Estado do Paraná QUE DECIDIR POR ENTRAR NA JUSTIÇA, informo que estamos entrando com uma AÇÃO JUDICIAL COLETIVA na região de Maringá. FORMEM SEUS GRUPOS, procurem seus direitos antes de firmar qualquer “acordo feito em desacordo com os princípios de mercado” procure um advogado de sua confiança, vamos fazer pipocar AÇÕES contra os mandos e desmandos. Não importa o quanto a Justiça possa demorar para decidir, o importante é que tudo seja justo diante das questões Legais de nosso País.

    Entendemos e reconhecemos o valor da tecnologia RR1, se cobrada legalmente, já pagamos e podemos pagar por qualquer tecnologia que nos seja disponibilizada, no entanto não podemos e não devemos assinar “acordo nenhum” antes mesmo que uma tecnologia seja ao menos lançada no mercado. Ok. A decisão cabe a cada um dos produtores, o que não podemos é assinar e depois querer voltar atrás, porque na linguagem do bom produtor rural, negócio fechado é negocio fechado, assinou tá assinado, …. “contudo” não é bem isso para os dirigentes que nos representam, primeiro assinam depois corem para renegociar… O difícil é compreender tal “ACORDO firmado pela CNA e demais Federações”. Primeiro assinam o “ACORDO” agora DISCORDAM… SENDO QUE O TERMO DO ACORDO ESTA PUBLICADO NA PAGINA DO SITE DA PRÓPRIA FEDERAÇÃO...NÃO LERAM O QUE PUBLICARAM? http://www.sistemafaep.org.br/noticia.aspx?id=2020 … Isto é que da fazer “certos” ACORDOS…. como diz o velho ditado, “se deram com os burros na água”. ...ANTES DE SE JUSTIFICAR ACUSANDO A MONSANTO, AO MENOS EXCLUAM A PAGINA DA NOTICIA VINCULADA NO SITE : http://www.sistemafaep.org.br/
    [email protected]

    0