DA REDAÇÃO: Banana – Importação da fruta do Equador deve ser discutida em audiência pública

Publicado em 22/08/2013 13:08 e atualizado em 22/08/2013 17:02
321 exibições
Brasília: Existe um estudo da Embrapa que alerta sobre os riscos da importação de banana do Equador, que pode trazer problemas sanitários graves para o Brasil. Órgão pede ao governo para que questão vire tema de audiência pública, pois, caso haja a compra, algumas medidas precisam ser tomadas. Nesta quinta-feira (22), Ministro da Fazenda deve participar da reunião a respeito da alta do dólar.

A Embrapa está buscando junto ao Governo, que seja feita uma audiência pública para debater a importação de banana do Equador. De acordo com o estudo elaborado pela empresa, a compra pode trazer riscos sanitários graves, já que a fruta produzida no país possui pragas e doenças inexistentes no Brasil.

Ao todo, são produzidas cerca de 7 milhões de toneladas de banana por ano no Brasil. E o país não tem a necessidade de importar, uma vez que a fruta é exportada para outros mercados.  A repórter do Canal Rural, Daniela Castro, destaca que existe uma pressão clara por parte do Equador.

“O embaixador equatoriano se reuniu com o Ministro da Agricultura e disse que a relação comercial entre os dois países é superavitária para o Brasil. E que o Equador tem a oferecer bananas ao país”, afirma a repórter.

O relatório da Embrapa será encaminhado ao ministro de Relação Exterior e o assunto deve ser tratado na próxima reunião da Camex (Câmara de Comércio Exterior), que acontece na quarta-feira (28). Cerca de 97% da produção nacional é de origem de  agricultura familiar e gera, em média, 1 emprego por hectare. 

Já nesta quinta-feira (22), o Ministro da Fazenda deverá participar de reunião do CMN (Conselho Monetário Nacional) para discutir a alta do dólar. A moeda norte-americana já atingiu R$ 2,40 e as estimativas do mercado é que possa alcançar até R$ 2,70, conforme destaca a repórter.

O real é a segunda moeda que está desvalorizada, em função da alta do dólar. O Brasil só perde para a África do Sul, mas no país não há a intervenção do Banco Central. “E nesse momento, de extrema especulação os investidores partem para os EUA e acabam abandonando os investimentos brasileiros”, explica Daniela.

Apesar de ser favorável às exportações, a valorização da moeda norte-americana encarece os preços dos fertilizantes. E os produtores brasileiros já começam a adquirir os insumos para a safra de verão. Frente a essa situação, o agricultor pode importar menos, situação que deve influenciar na produtividade da próxima safra, segundo acredita a repórter.

Por: Sebastião Garcia/ Fernanda Custódio
Fonte: Notícias Agrícolas

0 comentário